Páginas

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Terço do Espírito Santo


Sempre me impressionou aquele texto de São Paulo aos Romanos que diz que nós não sabemos orar como convém. São Tiago diz que não recebemos de Deus os bens celestes porque pedimos mal, de modo egoísta. Aquele texto de Romanos diz que o Espírito vem em auxilio da nossa fraqueza para orarmos como convém. Pensando nisso eu tomei aquele texto e o transformei numa espécie de texto, rezando esta convicção: "sou homem fraco e de existência muito breve, incapaz de discernir o que é justo" (Sb 9,5). Confiando somente em Deus eu pensei neste "terço". Entre as invocações, se alternam o estribilho: "Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro". Confissão da fé da Igreja na infinita misericórdia do Filho que, não nos querendo deixar órfãos, enviou de junto do Pai o Espírito como o outro Consolador. No começo e no fim, as Ave-Marias e a Salve-Rainha trazendo à memória a presença suave e discreta de Maria no cenáculo como que a catalizar a presença do Espírito entre os discípulos e Apóstolos da Igreja primitiva...
Boa oração para você.
Ah, ia esquecendo. Este "terço" é de minha autoria. Mas, não precisa pagar direitos autorais por isso. O que é de Deus não tem preço.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Um sinal: um menino nos nasceu e Herodes quer matá-lo.


O então Cardeal Ratzinger no seu livro "Introdução ao cristianismo" afirmou que Maria é o resto fiel de Israel que é encontrado por Deus para ser transformada no princípio do povo da Nova Aliança. Jesus é o rebento novo do tronco de Jessé a partir do qual nascerá a nova vide da qual se alimentam os ramos, conforme o evangelho de João. O contexto do nascimento de Jesus se assemelha ao nosso tempo.

Jesus nasceu num tempo que esperava a epifania de Deus de acordo com a Lei e as Promessas do Antigo Testamento e Deus, ao vir, irrompe de modo totalmente novo e inaudito. Ó grandioso momento da manifestação do poder de Deus que passou despercebido ao mundo e foi revelado apenas aos pequenos que dele se aproximaram e o aceitaram! Assim também o foi na ressurreição!

Hoje enfrentamos o desafio do ateísmo prático, militante, com todas as esquerdas unidas contra Cristo, seu Evangelho e sua Igreja. O mundo contra a Igreja e o Cristo! Assim, hoje, Jesus vem sem tempo para respirar no meio das lanças de Herodes; Jesus vem para trabalhar no tempo do homem o coração perdido do homem e levá-lo novamente à vida, mas, "o mundo não o recebeu porque não o conhece". "Àqueles que o recebeu deu-lhes poder de se tornarem filhos de Deus".

Ao ver que o tempo presente rechaça e persegue Deus e seu Cristo isto não nos surpreenda. Herodes não morreu. Pilatos não morreu. Entender o sinal dado é apenas para os pequenos e humildes. Os grandes e importantes têm sua cabeça noutros lugares importantes demais para pensar em sua salvação.

Quem se aproxima do presépio ainda são os pastores, enquanto Herodes luta contra o infante para manter seu poder. Hoje como ontem nada mudou, apenas os personagens e as armas. O intento infanticida continua o mesmo com a mesma intenção: matar o menino para garantir mais poder! É assim que agem feministas, abortistas, esquerdistas e toda a corja do Mal que desfila sobre a terra de santa Cruz e pelo mundo todo e nós os venceremos como Cristo venceu o mundo!