Páginas

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Papas que abdicaram da Sé Apostólica ao longo dos Séculos


O primeiro a fazê-lo foi o papa Ponciano no dia 28 de setembro do ano 235 sendo logo após preso pelo imperador romano e levado para uma pedreira onde morreu em consequência dos trabalhos forçados. A data da renúncia de Ponciano é o primeiro fato documentado com precisão de dia, mês e ano na História Eclesiástica.

O segundo a renunciar foi o papa Bento IX com um papado conturbado, foi expulso de Roma em setembro de 1044, retornou ao papado em 10 de março de 1045, abdicou novamente em 1° de maio de 1045, retornando no mesmo ano, mais uma vez deposto em 24 de dezembro de 1046, retomando novamente a Sé Petrina em 8 de novembro de 1047 até ser expulso definitivamente em 16 de julho de 1048. Era uma época em que as famílias da aristocracia romana disputavam o poder dos Estados Pontifícios e o nepotismo grassava na Santa Sé: Bento IX era sobrinho do seu antecessor, o papa João XIX, que por sua vez era o irmão caçula do seu antecessor o papa Bento VIII.

O terceiro papa a renunciar à Sé de Pedro foi São Celestino V, cujo nome de batismo era Pietro Del Morrone. Celestino era monge, considerado santo por todos e havia fundado uma ordem monástica dedicada a cuidar dos pobres e doentes. Foi eleito papa contra a sua vontade em 29 de agosto de 1294 e renunciou em 13 de dezembro do mesmo ano. Apesar de um homem de fé e vida ilibada, não se saiu bem no papado. Maxwell-Stuart, em sua obra Crónicas dos Papas (Ed. Verbo, 2004, p. 123), diz: "A santidade, tornava-se agora claro, não era suficiente. Justiça lhe seja feita, Celestino sabia-o, e cinco meses após a sua eleição abdicou." Após sua renúncia foi eleito Bonifácio VIII.

O último papa que renunciou antes de Bento XVI foi Gregório XII (1406 a 1415), que viveu o chamado grande Cisma do Ocidente: além de Gregório XII, o papa verdadeiro, que morava em Roma, havia ainda Bento XIII, anti-papa eleito pelos cardeais em Avignon, e o antipapa João XXIII, eleito no "Concílio" de Pisa. Convocado o Concílio de Constança, o imperador Sigismundo pediu que o papa e os dois anti-papas renunciassem, mas só Gregório XII renunciou e depois foi eleito o papa Martinho V.

Fonte: http://www.passeiaki.com/noticias/renuncia-papas

Nota: É de todo interessante que Bento XVI tenha feito uma visita ao túmulo do Papa São Celestino V e ali tenha deixado seu Pálio pontifício. Se ele declinou do Papado com motivações similares à de São Celestino V, só a história o dirá.