Páginas

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Desabafo de um padre sobre missas

Celebrando a missa na Paróquia Cristo Ressuscitado em Padre Miguel - RJ

Sou padre há quase 5 anos. Fui seminarista por 7 anos. Já estive em vários lugares Brasil afora, já celebrei em tantos outros e guardo no meu coração uma tristeza profunda. Quando eu era criança na roça e ia com minha família à missa uma vez por mês eu sabia que naquela hóstia tinha Jesus. Eu sentia o cheiro da vela queimando e aprendi a me perseguinar toda vez que passava diante de uma Igreja. Eu achava tudo meio estranho porque não entendia a missa, mas, sentava no primeiro banco e respondia a todas as perguntas que o padre fazia na hora do sermão. Daí eu cresci, fomos pra cidade e eu continuava inocente. Fui pro seminário e as escamas de meus olhos caíram. A missa pela qual eu sempre nutri o maior religioso respeito
virou palco
virou show
virou passeata
virou passarela
virou camarim de estrela
virou sambódromo
virou terreiro
virou tudo e suportou tudo
menos ser de fato, missa.
Já vi tanto desleixo... alfaias puídas, vasos sagrados zinabrados, hóstias consagradas carunchadas dentro do sacrário, um sacrário no meio de uma reforma de Igreja com hóstias consagradas dentro, consagração de vinho em tamanha quantidade que as sobras Eucarísticas precisaram de um exército de MESC para consumi-las porque o padre não poderia fazê-lo sem ficar bêbado e outros tantos abusos. Quando veio a Redemptionis Sacramentum e a Ecclesia de Eucharistia veio uma lufada de ar fresco e os rebeldes da Teologia da Libertação, da Rede Celebra e das CEB`s reagiram vorazmente. O site do mosteiro da Paz que hospedava uma carta de Reginaldo Velloso eivada de críticas às necessárias mudanças na liturgia e catalizadora desta mentalidade saiu do ar, mas, encontrei-a no site da Montfort disponível aqui.

Capitaneada pelo dualismo marxista de tipo maniqueísta, a reinterpretação que a missa sofreu nas décadas que sucederam o Concílio Vaticano II seguiu as pegadas da subjetividade humana. É odioso ouvir: "ah o jeito do outro padre é diferente". Isto denota uma personalização que a missa não comporta. A missa nunca foi a missa do padre, mas a missa da Igreja!

Esta mentalidade impregnou tanto a liturgia que quando um Padre quer celebrar a missa da Igreja, aquela do Missal Romano, é chamado de retrógrado. O respeito às normas litúrgicas são sinônimo de opressão. A missa pura e simples foi esvaziada para poder ser enchida pela ideologia da enxada, da faixa, do cartaz, da freira, do padre TL... a missa se transformou...
virou manifestação e protesto contra o Governo e o Sistema
contra a Igreja
contra os padres
contra a fé católica de sempre
contra a liturgia de sempre.
Enfiaram bananeiras, berrantes, espeto de churrasco, cuia de chimarrão, pão de queijo, cachaça, coco, faca e facão, pipoca, balões e ervas de cheiro na missa, enfiaram panos coloridos para todos os lados, colocaram mães de santo manuseando o turíbulo e leigos lendo preces seminus. Para essa CORJA a missa já deixou há muito tempo de ser o sacrifício redentor de Cristo PRO MULTIS e se tornou só mais uma mesa para comensais na qual vale o discurso e não a fé, na qual o que importa é o que o homem diz aos seus iguais e não o que Deus diz ao homem. Lembro-me de um professor contando todo garboso que certa feita utilizou-se de uma Adoração ao Santíssimo Sacramento para dar uma aula de teologia ao povo - aos seus moldes é claro - porque para ele aquela hóstia era pobre de significado.

Aquela hóstia pobre...
tão pobre quanto o cocho de Belém,
tão pobre quanto a cama em Nazaré,
tão pobre quanto a casa de Pedro em Cafarnaum,
tão pobre quanto a casa de Lázaro em Betânia,
tão pobre quanto o coração do Filho de Deus,
ela só pôde se tornar Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Cristo
porque Ele se fez pobre!
Sua pobreza não comporta reduções
tampouco acréscimos desnecessários.
Ele é aquele que é e nada mais,
mas, só para quem tem fé!

Aos meus irmãos padres um apelo: que nós diminuamos e que Ele apareça. Não somos o noivo, apenas amigos do noivo! Rezemos a missa da Igreja, a missa do Missal. Que Ele fale aos corações e às mentes, inclusive às nossas mentes e corações! Que Ele toque as vidas, inclusive as nossas. Que sua voz ecoe nas consciências, também nas nossas. Que toda a nossa Liturgia seja feita Por [causa de] Cristo, Com Cristo e em Cristo a[o] Pai na Unidade do Espírito Santo. Só isso. Se fizermos isso bem feito teremos feito tudo o que nos compete nesta vida.


142 comentários:

  1. Parabéns pelo texto. Acredito que se cada sacerdote servisse a Cristo e ao povo não teríamos aqueles que querem ser vistos. Em muitas igrejas a missa virou um show ao gosto do celebrante e nós que vamos procurar paz, oração e silêncio saímos mais angustiados do que quando entramos. Padre Luis, seja um padre para servir e não para ser visto. Que Deus o abençoe e ilumine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não é nada engraçado. rezemos muitos por esse padre e por todos que põe e pregam divisão na igreja de Cristo Jesus.

      Excluir
    2. Verdade, temos que rezar muito e pedir ao nosso Pai eterno que ilumine os sacerdotes e que não caiam nas falsas armadilhas de moralistas que querem enfraquecer a religião católica, São Pe Pio quando era vivo também foi perseguido por seus pares do convento, então nesta época modernista não vai ser diferente.

      Excluir
    3. Graça e Paz! Pe. Fernando, li e apreciei sua sinceridade e coragem. Realmente, temos que viver por Fé e crer naquilo que seguimos. Por outro lado, a Palavra de Deus declara que o Sumo Sacerdote é Cristo Jesus...E Ele veio ao mundo justamente para libertar os cativos de espírito, revelando à Humanidade uma nova visão espiritual, a fim de abolir o jugo pesado, a falsa religiosidade, os ritos farisaicos. Minha oração é para que o senhor prossiga em estreita comunhão com o Eterno, independentemente das dificuldades de percurso, e que, passo a passo, entenda a simplicidade de sentir e falar com Jesus. Abraço fraterno.

      Excluir
    4. Padre Luis Fernando, parabéns que o Espirito Santo continue a iluminá-lo, jamais desanime de pregar a verdade e justiça,como cristãos batizados temos o dever de denunciar os erros, e tristemente constatamos dentro de nossas Comunidades a esses espetáculos que obscurece a verdadeira essência da Santa Missa.Apoio o plenamente, pois devemos lutar com perseverança e fé, para acabar com esses abusos dentro da Santa Igreja e trazermos de volta a Sagrada Liturgia. Paz e Bem.

      Excluir
  2. Parabéns padre. Muitos de nós, leigos, desejosos de zelo pela Sagrada Liturgia, somos oprimidos e excluídos por aqueles que não entendem o verdadeiro sentido da Santa Missa.
    Que Deus o abençoe. Precisamos de padres santos e santos padres, sempre zelosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse padre não representa a igreja de Cristo Jesus.rezemos muitos por ele e por todos que põe e pregam divisão na igreja de Cristo Jesus.

      Excluir
    2. Quem não representa a Igreja aqui é vc meu irmão, o texto desse padre é voz de Deus para o povo... não tem divisão nenhuma, pois a verdade liberta!!!

      Excluir
    3. Aurício, rezaremos por ele sim, mas para que ele permaneça assim, como um verdadeiro sacerdote do Altíssimo!

      Excluir
    4. sou católico,amo a minha igreja,amo minha comunidade...e independente de como a missa é celebrada ¨se me mostra jesus vivo e senhor absuluto...¨se tradissional ou toda renovada sempre serei cristao...e fico triste pelo seu desabafo pela s redes sociais...nao seja como lutero...seja como sao francisco

      Excluir
  3. "Capitaneada pelo dualismo marxista de tipo maniqueísta" mero falatorio sem sentido nenhum esta expressao, desafio alguem a explicar se isto faz algum sentido esta expressao. O texto é otimo e da muito o que pensar mas a expressao acima é bobajada ideologica. E nao finbjam que entenderam e faz sentido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Controlado por pensamento enganoso que é o marxismo e com tipo de hipocrisia que é o maniquísmo, onde afirma em dizer que a matéria é boa, mas o espírito é bom, sendo que o ser humano é apenas um, corpo e alma!

      Entendeu ou precisa desenhar pra vc?!

      Excluir
    2. Desenhando.
      O marxismo é materialista em sua fonte. A moral maniqueísta divide o mundo em mau e bom, sendo a matéria má e o espírito, bom. Bem, o materialismo marxista presente na teologia da libertação que informou (de forma) um certo modo litúrgico, sobretudo no Brasil, é dualista porque demoniza a Igreja, sua hierarquia, sua estrutura, sua liturgia, sua teologia, e sacraliza aquilo que é produzido pela revolução liberacionista. Se isso não for maniqueu e marxista de origem, eu já não sei mais o que é filosofia.

      Excluir
    3. fácil. conhece o pensamento de Gramsci, o marxista com gênio satânico, o que diz que se deve enganar e enganar e esconder e de novo enganar para que a revolução triunfe? pois é.

      dualista porque para o marxismo, tal qual colocado por Gramsci, só existem duas categorias no mundo: contribuição para a revolução e inimigos da revolução. não há Verdade, não há Bem, não há o Certo. há o que ajuda a revolução e o que prejudica a revolução. para que os primeiros vençam os últimos é preciso dominar a cultura, torcer e distorcer tudo para que os valores antigos; a maioria deles guardados pela Igreja, uma das grandes, senão a maior, inimiga da revolução; sejam destruídos e o socialismo possa se estabelecer de vez. duas categorias, dois grupos de pessoas. ou vc ajuda a revolução, não importando se intencional ou inocentemente, ou vc é inimigo da revolução é precisa ser silenciado, ridicularizado, esquecido.

      já o maniqueísta, que nesse texto do Padre parece ser referência à oposição entre um bem e mal, vem desse pensamento marxista que tomou conta de tudo: todo princípio de autoridade é fascismo, tudo que diga como viver e se portar é expressão de classes dominantes e alienação. o bem agora é deixar que cada um fabrique sua própria verdade. quem permite isso é um iluminado, quem tenta impedir é um opressor. tudo no mundo agora parece se resumir à essa fórmula... maniqueísta: oprimidos / opressores.

      de nada. disponha.

      Excluir
    4. Ainda bem que não deu o nome... Como gosta de passar vergonha esse povo.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Bento...
      Já não deu o nome por isso... não estuda... não se garante... bastaria ter pedido para alguém explicar, mas preferiu dizer asneira... têm pessoas que acham que marxismo é "matéria de História"... pobres bonecos...

      Excluir
  4. Senhor sacerdote,meus parabéns pelo texto. Lamento que esteja se sentindo assim, mas seja forte!O senhor não está sozinho!Em todo o Brasil, cada vez mais pessoas estão redescobrindo a verdadeira face do catolicismo e de nossa liturgia. Com a graça de Deus e contando com as atividades perseverantes de sacerdotes do seu quilate, podemos restaurar em nossa pátria o verdadeiro catolicismo de outros tempos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um Texto Apocalíptico do Papa Bento XVI

      sobre a Igreja



      “Ela não será mais capaz de ocupar muitos dos edifícios construídos em sua prosperidade. A medida que o número de seus adeptos diminui... Ela irá perder muitos dos seus privilégios sociais... Como uma pequena sociedade, [a Igreja] irá exigir muito mais da iniciativa individual de seus membros...”



      “Vai ser difícil para Igreja, pois o processo de cristalização e clarificação* vai lhe custar muito de sua valiosa energia. Isso a deixará pobre e a tornará a Igreja dos mansos...”



      “O processo será longo e desgastante, como foi o caminho do falso progressismo na véspera da Revolução Francesa, quando um bispo podia ser considerado inteligente se fizesse piada dos dogmas e até insinuasse que a existência de Deus era incerta... Mas quando o processo desta provação tiver passado, um grande poder irá fluir de uma Igreja mais espiritual e simples. Os homens, em um mundo totalmente planejado, se verão indescritivelmente solitários. Terão perdido completamente a visão de Deus, sentirão o horror de toda a sua pobreza. Depois, irão descobrir aquele pequeno rebanho de crentes como algo totalmente novo, como uma esperança para eles, uma resposta que sempre estiveram em segredo procurando.”



      “E assim parece certo para mim que a Igreja está passando por momentos muito difíceis. A verdadeira crise mal começou. Teremos que contar com convulsões terríveis. Mas estou igualmente certo sobre o que vai permanecer no final: não a Igreja do culto político, que já está morto... mas a Igreja da Fé. Ela pode muito bem não ser o poder social dominante na medida em que ela era até recentemente, mas ela vai desfrutar de um florescimento fresco e ser vista como a casa do homem, onde ele encontrará vida e esperança para além da morte.”



      Autor: Joseph Ratzinger (Pope Benedict XVI), "The Church Will Become Small", em Faith and the Future (San Francisco: Ignatius Press, 2009)



      Em: A Casa de Sarto|Tradução: Missa Gregoriana



      * N.T.: Ao se cristalizar uma solução química para se obter um grande cristal, ao invés de pequenos e muitos, deve-se alternar o ciclo de temperatura, ora alta e ora baixa. Em temperaturas elevadas, os pequenos cristais dissolvem mais rápido do que os grandes e desaparecem. Quando se esfria novamente a solução, as moléculas são re-cristalizadas em um cristal maior. Depois de muitos ciclos consegue-se um único e grande cristal.

      Excluir
    2. Que belo texto Henrique. Muito obrigado!

      Excluir
    3. Padre Luis Fernando,até ler seu desabafo,confesso que me sentia só;muito obrigado,hoje sei que eu não estou sozinho.

      Excluir
  5. Parabéns padre. Sou padre a 11 anos e vivi na minha adolescência e juventude em meio a essa bagunça e minha vocação nasceu com o desejo de ser diferente, de ser o padre que eu queria ter tido como pastor. Hoje na minha paróquia celebro a Santa Missa da Igreja, a Missa como está no Missal, com toda a reverência e solenidade que ela comporta e vejo a cada domingo minha Igreja mais lotada a ponto de não caber mais dentro. Que Deus nos ajude a sermos sempre fiéis à fé da Santa Igreja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São padres como os senhores(amigos de DEUS,da liturgia) que nós Católicos realmente Católicos ,queremos,eu tenho a graça de conviver com um padre como vocês (Amigo de DEUS e da liturgia e da Santa Mãe Igreja) o Pe. Paulo Ricardo e outros da arquidiocese de Cuiabá,e agradeço os senhores por serem padres,padres que não querem católicos de quantidade mas de qualidade!

      Excluir
    2. Grande Padre Leonardo Wagner, companheiro da boa batalha!!!

      Excluir
    3. Obrigado irmãos. Nós sacerdotes precisamos muito, muito mesmo da intercessão de vocês para lutarmos nessa batalha pela fé em Cristo Jesus no serviço e amor incondicionais à Santa Igreja Católica.

      Excluir
  6. que exagero!!!!!!!!a missa é linda sempre seja do jeito que for. cada comunidade tem seu carisma seu jeito de expressar a fé. melhor assim do que o tedio dos sacerdotes sem unção que não alcança os corações e esvazia a Santa Missa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyla. A missa é linda sim, mas mudanças e abusos introduzidos nela descaraterizam a missa porque ela não é uma expressão somente antropológica. A missa é uma ação teândrica, ou seja, divino-humana. A missa não comporta reduções ou personalizações, seja de acordo com o celebrante ou de acordo com a comunidade onde será celebrada. A missa é o que é e pronto. Quanto à unção que vc reporta, eu não consigo entender qual seja. Os sacerdotes têm 3 unções: a do batismo, a da crisma e da ordenação sacerdotal. Precisa de mais unção do que isso?

      Excluir
    2. "melhor assim do que o tedio dos sacerdotes sem unção que não alcança os corações e esvazia a Santa Missa."

      A senhora realmente está precisando, antes de mais nada, saber o que é uma Missa.

      Como assim "esvaziar a Missa"? Esvaziar de que? Missa não é espetáculo de Padre, minha senhora, Missa não é um culto protestante que tem que depender da habilidade retórica do pastor pra ter algum valor.

      A Missa é o Sacrifício de Cristo, é a encarnação do próprio Deus, corpo, sangue, alma e divindade, em um pedaço de pão e em um pouco de vinho. Após este milagre da encarnação, de Deus presente entre nós, somos convidados a uma união com o próprio Deus através do consumo deste corpo e deste sangue!

      Diga-me, minha senhora, o que é que qualquer padre pode fazer com a Missa que a torne maior do que isso que acabei de lhe descrever?

      Excluir
    3. Esse relativismo é que descaracteriza o verdadeiro cristão. Quando se busca a sacralidade na celebração eucarística e se satisfaz com mero showzinho do celebrante, o cristão se afasta por completo da VERDADE deixada por Jesus Cristo e a qual Ele fez questão que fosse repetida: Fazei isto em memória de mim.

      Infelizmente hoje impera a prática do relativismo, da superficialidade, não só na Igreja mas em todos os ramos da sociedade. Valores verdadeiros são deixados de lado para assim, satisfazer-se em falsas morais éticas. Jesus sempre que falava aos apóstolos e aos demais repetia: "em verdade, em verdade Vos digo", sendo assim, não há meias verdades ou falsas verdades na palavras de Jesus. Há verdade plena e absoluta. Não se pode deixar levar pela onda do "politicamente correto" e humanamente tolerável em desfavor do "verdadeiramente, segundo Jesus Cristo, correto. Que Deus conceda a todos nós a capacidade de enxergar e aceitar somente as SUAS VERDADES.

      Excluir
    4. Cala sua boca em Nome da Santa Igreja Católica.. Ridículo seu pensamento progressista e podre, cujo asco me causa náusea..
      A Santa Missa é linda sim, mas do jeito que a IGREJA DETERMINA..
      Quem é você, Sheyla, para achar que pode se intrometer nas regras Eclesiais? Quem é você para achar que alguém pode mudar a Sagrada Liturgia?
      .. Leia e aprenda o que a Santa Igreja nos fala com relação à celebração da Santa Missa no documento: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccdds/documents/rc_con_ccdds_doc_20040423_redemptionis-sacramentum_po.html

      Está certo o Padre que escreveu esse texto, expressou aquilo que todos os verdadeiros Católicos sentem ao presenciar um sacrilégio..

      Excluir
    5. Amigo "Em honra ao Sagrado Coração de Jesus", lembre-se que os mansos possuirão a terra.

      Excluir
    6. E o que seria um sacerdote com unção para a senhora? Alguém que segue os moldes e os gostos do povo? Alguém que celebra o sagrado mistério como se fosse um show gospel? Um sacerdote que prefere desobedecer as instruções (BEM CLARAS)dadas pela Santa Igreja ,para transformar a missa num grande "baile"?
      Será que uma missa linda sempre é uma missa de acordo com o aval da Santa Igreja?Obvio que não.Desde quando a Igreja aprovou esse seu relativismo, claramente mostrado na sua frase("Que exagero!!!!!!!!a missa é linda seja do jeito que for)? Se você não obedece a Igreja não pode se considerar católica....e eu lhe convido a examinar, com o mínimo de pericia e esmero,o missal romano de S.S.Paulo VI...Verá que ,claramente,Padres que cometem os exageros citados no texto(e tantos outros mais),tudo em nome de uma "missa para o povo",estão em completo desacordo com o verdadeiro espirito do concílio vaticano II,totalmente contrários à Santa Igreja,e totalmente contrários ao verdadeiro sentido do sagrado sacrifício eucarístico....a missa é para Deus,oferecida pelo SACERDOTE...
      Volto a repetir :quem não obedece á santa Igreja,não pode se considerar católico...e a Igreja Católica Apostólica Romana nuca foi e nem será a favor dessa ideia fútil de que "qualquer missa é missa boa"Quem não é filho da Igreja,não é filho de Deus.....Paz e em

      Excluir
    7. Sheyla, ligue 2 fios na tomada e amarre no pé durante a missa. Assim você vai tomando uns choques e não fica entediada.

      Excluir
    8. Minha irmã Sheyla, é por acreditarem na Missa como você que passamos por uma situação triste aqui em minha paróquia, durante uma missa concelebrada por dois padres, sendo um o pároco e o outro um padre de fama por seus carismas. Durante a comunhão formou-se filas, como em todas a Igrejas mundo afora, mas ocorreu algo inacreditável, o padre, por ter carismas teve a fila maior e ninguém formou fila para receber a comunhão do pároco, pq? Só pq não é carismático. Ora todo Padre é ungido pelo Bispo e pela Igreja de Cristo para ministrar a palavra e os sacramentos, nenhum é maior do que o outro, nem mesmo entre as hierarquias eclesiásticas há esse discernimento. Em toda missa, seja qual for, o padre celebra "in persona Christi". E o centro da Missa é a Eucaristia e não o Padre. O centro é Jesus e não o Padre. Pax e Bene minha Irmã! Pense nisso.

      Excluir
    9. Muitos infelizmente estão dentro da igreja seguindo """padres""" e não JESUS.
      Isso me deixa muito trisre.

      Excluir
    10. Sheyla, eu só tenho uma coisinha para lhe dizer diante sua ignorância:"cala a boca, Magda," e estude! Mas procure a fonte certa.

      Excluir
    11. "Os sacerdotes têm 3 unções: a do batismo, a da crisma e da ordenação sacerdotal"

      Padre Luis Fernando; o termo "unção" utilizado pela querida Sheyla não é este ao que o Sr. refere. Nada mais significa do que falsa alegria... é um termo protestantizado, como o uso de seguidos "amém" proferidos dentro de uma homilia, que vêm sendo erroneamente absorvidos por muitos Sacerdotes.

      Sheyla, A Liturgia da Missa, assim como as outras liturgias dos Sacramentos, não são propriedade deste ou daquele, mas de Deus. A Graça não está no Padre falastrão; não está também na assembléia com atitude festiva. As Bodas do Cordeiro é a Plenitude. É o máximo que podemos obter da Graça de Deus. É o mais próximo que podemos chegar do Céu ainda em vida.

      Para tua reflexão, as palavras de Santo Agostinho sobre a Santíssima Eucaristia:
      "Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro e eu fora. Estavas comigo e não eu contigo. Exalaste perfume e respirei. Agora anelo por ti. Provei-te, e tenho fome e sede. Tocaste-me e ardi por tua paz."

      Excluir
    12. ANDERSON FORTALEZA VC ESTA CERTÍSSIMO, MEUS PARABÉNS, AMEI SUA RESPOSTA, A POUCOS DIAS VI UMA MISSA DE CMDOMBLÉ DENTRO DE UMA IGREJA....PRA MIM É O FIM.

      Excluir
  7. Parabéns padre me enche de orgulho só em saber que ainda existe Padres que preza pelo respeito a MISSA.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns, Padre! Meu consolo, além de padres como o senhor, é que as portas do inferno não prevalecerão...

    ResponderExcluir
  9. Sheyla, como pode a Santa Missa ser esvaziada, ou seja, tornar-se vazia, se nela está Cristo presente na Eucaristia? que é carisma? expressão de uma cultura local? que é unção? fazer pessoas sentirem arrepios e emoções e crerem que isso é Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que ocorre nos dias de hoje. O povo quer ver espetáculos e shows... cair de joelhos ficou enfadonho... o negócio e pular e bater palmas!!! A mínima repreensão faz com que o ser humano se vire e vá para o protestantismo... É bem simples, procure uma garagem com pastor berrando se não concorda com o missal.

      Excluir
  10. É isso aí, prezado irmão! Façamos a nossa parte na luta pela restauração da dignidade da liturgia! A culpa dos abusos litúrgicos é normalmente do padre. Se ele acompanhar e corrigir seus ministros, nada disso acontecerá.

    ResponderExcluir
  11. Padre, lendo suas palavras, sabe que me dá mais esperança, parabéns....

    Rezemos a missa do Missal. Só isso.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado a todos pelos comentários. São encorajadores! Caminhemos com os olhos fixos naquele que é a razão da nossa esperança e não desanimemos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza padre,não podemos desanimar jamais,um dia se DEUS me der a oportunidade quero vê-lo celebrando a Santa Missa !

      Excluir
    2. Pe. ,conte com minhas orações !!!

      Excluir
  13. respeito, mas discordo em 70%, pois vejo muitas missas eficazez com suas palmas comportadas, músicas animadas, e estão trazendo aquilo que o Cristo sempre pediu, sem palavras difíceis, sem filosofia, teologias, escatologias, e marxismos, e blá blá blá... o CRISTO É SIMPLES E FÁCIL DE ENTENDER! Deus vos abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, a missa é eficaz não porque seja "animada" ou porque lote a Igreja. A missa é eficaz porque é o sacrifício da nossa salvação. A virada antropológica da missa que vc não consegue ver o faz percebê-la em torno do homem, quando na verdade o centro da missa não é o homem, o que o homem sente, o que o homem faz, mas, é Deus o Pai objeto do nosso louvor que se realiza no Corpo de Cristo e por Cristo na unção do Espírito Santo. Logo, o centro da missa é o que Deus faz ao homem e não o que o homem sente ou faz para Deus.

      Excluir
    2. «A missa é a coisa mais absurdamente poética que existe. É o absolutamente novo sempre. É Cristo se encarnando, tendo a sua Paixão, morrendo e ressuscitando. Nós não temos de botar mais nada em cima disso, é só isso». A frase é de Adélia Prado. Creio que ela nos fala do inefável amor de Deus que é revelado pelo Belo contido na liturgia e, que por isso mesmo não necessita de "invencionisses".

      Excluir
  14. Necessárias palavras, Padre! Rogo a Deus para que padres com o seu mesmo pensamento se multipliquem pelo Brasil e pelo mundo. Suponho que o padre da minha paróquia tenha o mesmo entendimento do Senhor. É um alento saber que ainda há quem queira a Missa como ela é e não o espetáculo que não a comporta.

    E mesmo que haja irmãos que considerem missas "animadas", extremamente "musicais" mais interessantes, menos enfadonhas, sempre me pego entediada com esse tipo de celebração. Creio que seja a ideia de que a Missa não é autopromoção e nem show para poucos. Jesus está presente durante a celebração, e tenho no coração a certeza de que ele quer que nós o encontremos felizes no coração e no espírito, mas às vezes penso que essas adições, diferenciações só servem para distrair o coração do católico.

    Que Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  15. Graças a Deus. É muito diferente quando um padre fala isso ou quando um leigo fala. Obrigado padre Fernando! Isso é muito importante. Deus conta conosco, e não podemos deixar perder a liturgia católica de sempre. Obrigado! Rezaremos por sua vocação. Sua bênção. Salve Maria!

    ResponderExcluir
  16. Que bom que existem Padres como o Senhor, que continue sempre assim. Eu encontrei um assim perto da minha casa e fico feliz por isso. Saio muito feliz da Missa e não chateada como antes. Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  17. Deus meu, após ler linhas tão verdadeiras posso dizer: há fé católica na Terra de Santa Cruz! Graças a Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ooohhhhhhh Glóóóriaaa Amém ! É muito gratificante saber que aqui no Brasil á irmãos que almejam a Santa Missa como ela realmente deve ser !

      Excluir
  18. Bom dia Padre, a paz de Jesus!
    Eu considerei muito feliz o seu texto e muito válido como alerta ao povo de Deus. Porém discordo em alguns pontos que vão mais pelas linhas da interpretação. Considero um excesso condenar toda a atividade que se constrói dentro das CEB's e da Rede Celebra (nem todos trabalham para o marxismo, existe muita gente séria e comprometida), o senhor se equivoca ao dar a entender que a missa quando é celebrada "como está no Missal" não comporta a enculturação de que tanto fala a Igreja Pós-Conciliar (dentro dos seus limites aceitáveis, sem os exageros atuais), concordo plenamente com as criticas e vejo que há um descaso pelo culto e uma extrema personalização, mas mais uma vez lamento que o senhor nenhuma vez tenha citado o Neo-pentecostalismo protestante dento da Igreja (que também é Maniqueísta), eles falam mais no demônio do que em Deus, e pregam uma "guerra santa" contra o diabo! Devemos estar vigilante, mas não atrair o povo para as Igrejas por medo do diabo ou prometendo curas, a Idade Média já acabou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado Bruno,a Paz de Jesus e o Amor de Maria! Se vc se refere à Renovação Carismática Católica ,posso lhe assegurar que prezamos muito a Santa Missa,a Liturgia e Sacerdotes Santos que seguem o Missal,como o Padre Fernando.A Eucaristia é o maior tesouro deixado por Nosso Senhor ! As curas,amado,acontecem conforme a fé da pessoa,não prometemos nada..é Jesus quem cura,sempre que estiver em Seus planos.E o inimigo,ah esse é esperto...quer que não se fale nele,mas ele existe e devemos lutar,sim,amado.Se vc ler Efésios 6,10-20,São Paulo fala no "combate espiritual".O Padre Fernando pode complementar e explicar melhor que eu.Travamos uma guerra,sim,amado.A batalha é diária,mas o Senhor prometeu a coroa da vitória "aquele que perseverar até o fim,esse será salvo".Abraço fraterno!

      Excluir
  19. http://www.padreluisfernando.com/2011/09/refutando-cultura-negra-e-liturgia.html

    ResponderExcluir
  20. http://www.padreluisfernando.com/2012/06/cultura-negra-e-liturgia-inculturada.html

    ResponderExcluir
  21. O que deveria ser tirado da missa é aquela bateria barulhenta que em nada acrescenta,missa é lugar de entrega e adoração quando tem som de bateria na missa saímos da igreja com a cabeça cansada,atrapalha muito,só ouço pessoas reclamando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente contigo, cara Geani.Sou contra som de bateria na Santa Missa, pois seu som barulhento, incomoda muito.

      Excluir
    2. Reclama com o papa, e pede pra ele emitir uma ordem pra retirar a bateria.

      Excluir
  22. PADRE LUIS DEUS SEJA LOUVADO POR SUA VOZ DE PROFETA QUE ANUNÇIA A PALAVRA DE DEUS COMO ELE PEDE É TEM A CORAGEM DO VERDADEIRO PROFETA DE DEUS DE DENUNÇIAR AS OBRAS DE SATANAZ QUE ESTÃO SE ADENTRANDO A SANTA IGREJA DE CRISTO JESUS NAS PESSÕAS DE ALGUNS SARCEDOTES , BISPOS CARDEIAS QUE PERMITE ESRES EXAGEROS NA SANTA EUCARESTIA EM FIM EM MUITOS LUGARES É EM ALGUNS SARCEDOTES , BISPOS , CARDEIAS IRMÃOS [a] CONSAGRADOS É TAMBÉM EM LEIGOS QUE EM TODOS O CLERO EXISTE ALGUNS QUE DEIXARAM QUE AS TREVAS SE ADENTRE A SUA DIOCESE OU PAROQUIAS MENOSPREZANDO O SAGRADO É DIVINO EM TROCA DAS TREVAS QUANDO SE PERMITI TUDO O QUE O SENHOR COLOCOU COMO PROFANO É PECADO COM TODA VERDADE É CORAGEM SE NOTA AS OBRAS DAS TREVAS QUERENDO SUFOCAR A LUZ DA NOSSA SANTA É AMADA IGREJA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO QUE DEUS SUSCITE MAIS SARCEDOTES COM A SUA CORAGEM PARA JUNTOS CONBATERMOS TODAS ESTAS OBRAS DO DEMONIO NA CERTEZA QUE SERÃO DESTRUIDAS TEMOS A PALAVTRA DO PROPRIO JESUS QUE AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALEÇERÃO CONTRA A SUA IGREJA QUE A SEMPRE VIRGEM MARIA GUARDE O SENHOR NAS DOBRAS DO SEU SAGRADO MANTO ÃONDE O INIMIGOS DE DEUS NÃO TI ATINGIRA CERTO PADRE LUIS SAIBA
    QUE VOÇES SARÇEDOTER DA IGREJA CATÓLICA SÃO OS FILHOS PREDILETOS DA MÃE DO NOSSO SALVADOR JESUS CRISTO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Caro Jones pelas belas palavras.

      Excluir
    2. PROFETA NÃO É ANTI ÉTICO COM A MISSÃO DOS PRESBÍTEROS E NEM TAMPOUCO COM A IGREJA HIERÁRQUICA. TODAS AS PROFISSÕES EXISTEM UM CÓDIGO DE ÉTICA E SÃO PRATICADOS PELOS SEUS MEMBROS PARA O ZELO DA PROFISSÃO. QUE PENA, ALGUNS PADRES NÃO TÊM ESSE CARÁTER ÉTICO. SEMPRE VIMOS PADRE DIFAMANDO O COLEGA, O SEU BISPO, A SUA IGREJA CONFORME SEU INTERESSE SEXUAL E FINANCEIRO.

      Excluir
  23. Senhor padre, gostei muito de seu desabafo!!! Acredito que o senhor tenha apenas se esquecido de dizer das danças e neo pentecostalismo da RCC nas nossas missas. Tenho a impressão que estou em um culto das seitas pentecostais quando vou a uma igreja e o padre e ou leigos começam a orar em línguas e a falar mais do capeta que da ressurreição de cristo.
    Abraço fraterno e sua bênçao!

    Fabio Lopes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Fábio. Vc fez bem em recordar mais este abuso. Glossolalia em plena santa missa durante a oração dos fiéis (que deveria ser comunitária) e "passeio" com o Santíssimo Sacramento após a consagração. Além da exortação sentimentalóide das missas televisionadas para fazer as pessoas chorarem ao invés de rezar.

      Excluir
  24. Parabéns pelo teu texto, Padre.
    Tenho sempre a sensação de que algo deu errado com o Concílio Vaticano II. Não era para ser assim tão tipicamente protestante! A Santa Missa não devia ter se tornado tão comensal. O comensalismo é um rito protestante: "o banquete da palavra". A Santa Missa é a celebração da memória do sacrifício do Cristo. Esta "nova" igreja, pregada por sacerdotes da Renovação Carismática Católica (RCC) é um novo "cisma" do catolicismo.

    Sou progressista sim, em muitas coisas. Não em matéria de religião. A religião é uma situação perene, ela não muda. Os ritos devem ser sempre mantidos e não modernizados.

    Sempre que o sacerdote diz "eis o mistério da fé" fico pensando se tenho fé suficiente para ser o merecedor de tanto sacrifício deste Homem. É uma hora que posso quase imaginar a dor imposta a Ele. E, nesta hora de meditação sempre vem a RCC com seu "Amen" e palmas e gritos de aleluia. Parece-me que gritam "crucifixe-o, crucifixe-o!". Sinto-me sempre muito envergonhado diante de tanta euforia. E calo um grito de "misericórdia"!

    Mateus (26,27-29) e Marcos (14,23-25) escrevem que Jesus disse: "derramado por muitos" e Lucas (22,20) escreve "por vós". Entretanto João diz que não foi por todos (Jo 17,9 e 17,20). Assim, "derramado por vós e por muitos", onde "muitos" pode significar aqueles que merecerem (não todos). Porque, apesar do sacrifício doloroso, Ele o aceita. Aceita o cálice do sacrifício:

    "Mete a espada na bainha, por acaso não beberei do cálice de Meu Pai?" (Jo 18,11).


    Um cálice de sacrifício e não um brinde. Não creio que possamos brindar, pelo menos por enquanto: "Amen dico vobis: Iam non bibam de genimine vitis usque in diem illum, cum illud bibam novum in regno Dei". (Mt 14,25) Deixemos para brindar no momento correto... no Reino de Deus.

    Traduziram o texto litúrgico mas perderam a noção do sentido das palavras. Reclamavam que o ritual em latim era incompreensível. E agora, por acaso, compreendem-no? Duvido muito!

    Desculpem-me se vos pareço intransigente. Que possam me perdoar, também, os que me julgarem herege. Fico pensando até onde a Santa Madre Igreja permitirá estas comemorações efusivas no lugar do respeito ritual ao sacrifício. Não que não devamos brindar a vida, mas brindê-mo-la nos botecos, em nossas ocasiões festivas, com os amigos e gratos a Deus por nos permitir fazê-lo.

    A tua bênção.

    João Dovicchi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom Papa João XXIII não tinha nunca em mente uma revolução como esta. Leia Mater et Magistra e entenderás o pensamento do bom Papa de feliz memória. As mudanças pós-conciliares tbm não invalidam o Concílio. Sabemos, entretanto, que os abusos cometidos em nome da renovação conciliar em nada atende àquele espírito da hermenêutica justa, da continuidade expressa pelo Papa Bento XVI. Hermenêutica esta execrada tanto pelos progressistas quanto pelos tradicionalistas radicais. O Concílio não se joga no lixo. Um rito não se cristaliza na Igreja, pois, o próprio rito de Pio V foi uma adequação àquele tempo na supressão de tantos missais divergentes para a confecção de um rito único. Não vejo tantos demônios assim na missa de Paulo VI. Vejo demônios nos homens que antropologizam-na a ponto dela se descaracterizar como O Sacrifício redentor, mas, também ceia do Cordeiro, alimento de imortalidade, penhor dos bens futuros...

      Excluir
  25. se todos soubessem o valor de um sacerdote,
    se curvariam ao passar por um.
    pois a traz de um sacerdote existe cristo.

    ResponderExcluir
  26. Parabéns, padre.
    Graças ao bom Deus, ainda existem santos homens que, muitas vezes numa luta solitária, ainda gritam, como podem, em defesa da Verdade Única e suprema vinda do Cristo por Sua Santa e Imaculada Igreja.
    Deus lhe pague e dá-nos a tua bênção querido e amado filho da Igreja.
    A bênção, padre.

    ResponderExcluir
  27. Esta resposta não apareceu nos comentários, por isso vou postá-la e comentá-la.

    Padre, boa noite

    Sou Helmut Martins, e moro em João Pessoa.

    Recentemente li no facebook seu texto sobre a missa.

    Destaco abaixo minha resposta publicada lá

    Li o desabafo do padre, mas há muito ranço, muita raiva nas falas desse sacerdote.
    Vamos às partes que me chamaram a atenção:
    1 - A Constituição apostólica Sacrosanctum Concilium, que sequer o padre cita no texto, foi um dos pilares para a mudança para a liturgia como a conhecemos hoje. Não houveram excessos das CEB's, Rede Celebra, ou da Teologia da Libertação.
    2 - Acredito que o padre não leu a Instrução Geral sobre o Missal Romano. Todas as missas nas quais participei seguiam os ritos litúrgicos.
    3 - Chamar de odioso quando uma pessoa diz que prefere uma missa celebrada por um padre a outro é absurdo. Sabemos que muitos padres são carreiristas, e não vocacionados. Estes carreiristas não se importam com os seus fiéis, nem com a comunidade. E muitas das homilias proferidas por eles são apenas pra cumprir tabela, e não pra inspirar os fiéis.
    4 - O frei Marcelo Barros, criticado duramente pelo site da monfort, não é e nunca foi praticante de candomblé. Quem o conhece, sabe o quanto ele é engajado nas causas sociais, em favor dos menos favorecidos. O mesmo pode-se dizer de Reginaldo Veloso. De hereges, eles não tem nada.
    5 - No documentos da CNBB ns. 43 (Animação da vida litúrgica no Brasil) é feita uma retrospectiva pré e pós concílio Vaticano II da caminhada da igreja do Brasil , onde, entre outras coisas, adotou-se o uso da língua vernácula nas celebrações, para torná-la mais acessível aos fiéis, bem como o estímulo dos leigos a participar ativamente da mistagogia.

    6 - Chamar de corja fiéis que fazem a liturgia inculturada em suas vidas é uma ofensa muito grave. O mesmo documento 43 da CNBB, item 43 diz que: "Por essa razão, nossa liturgia deve abrir espaços para as expressões de nosso povo. Assim nossas celebrações conseguem a participação de todas as pessoas e da pessoa toda, envolvendo também seus corpos e a maneira característica de alimentar e exprimir seus sentimentos". Convido também esse padre a ler o cap IX da IGMR, que fala claramente que podem ser feitas adaptações na liturgia, desde que especificadas conforme as normas do direito, pela Conferência do Bispos. Se as celebrações eucarísticas utilizam símbolos regionais como berrantes, ervas de cheiro, cuia de chimarrão ou outros, é para manifestar que ela é constante, atual, e que a liturgia não parou no tempo, está disposta a dialogar com todas as culturas sem perder sua essência nem seu vigor profético.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resposta a Helmut.
      Não há raiva. Há uma constatação. Não há ranço. Há um desalento. São coisas muito diferentes. Helmut projeta em mim suas próprias idéias. Mas, vamos lá.
      1. Eu não escrevi um texto acadêmico sobre a liturgia pra ter que citar a SC ou MC ou qualquer outro texto do Magistério. Se quiser um texto acadêmico pode ler este aqui que escrevi e foi publicado no Apologistas: http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/catequese/liturgia/486-a-natureza-da-sagrada-liturgia-e-sua-importancia-na-vida-da-igreja
      Se o bom Helmut me mostrar onde a Sacrossanctum Concilium manda colocar panos coloridos por toda a Igreja, onde manda erguer uma cuia de chimarrão e um espeto de churrasco junto com a eucaristia na missa, onde manda leigos fazerem a parte do padre, entre outras coisas, eu retiro meu texto do blog.
      E tudo isso EU VI dentro dos contextos de CEB`s e Teologia da Libertação que criaram os laboratórios litúrgicos que depois veio a ser a rede celebra. Acho que sr. Helmut nem saiba o que é um abuso litúrgico. Recomendo que leia a Sacrossanctum Concilium.
      2. Eu li toda a Instrução Geral do Missal Romano e foi lá que comecei a ver os erros que se cometem por aí.
      3. Sim, é odioso quando uma pessoa escolhe o padre porque o sacrifício acontece quando é celebrado por aquele padre mais pobre e também quando é celebrado pelo Papa na Basílica de São Pedro. Ambos são igualmente sacerdotes no único sacerdote, Cristo Jesus.
      4. Bom, se o sr. Helmut me mostrar onde eu cito o monge Marcelo Barros, e mais, onde eu o acuso de ser candoblecista eu retiro o meu texto do blog. Eu não o acusei de nada. Estas palavras que o sr. cita não são minhas. Tampouco chamei a ele e ao padre Reginaldo Veloso de hereges. Atenção ao que vc cita amigo. Acusação mentirosa lhe retira o crédito de sua argumentação.
      5. Língua vernácula. O que tem isso a ver com o meu texto, mesmo?
      6. Jesus chamou os fariseus de hipócritas, de serpentes, de sepulcros caiados... noutro momento chicoteou os vendedores do templo de Jerusalém e tudo isto tinha um objetivo de desmascará-los e convertê-los. Quando denomino de corja os manipuladores da liturgia é para desmascará-los em suas reais intenções. O termo inculturação é só um escudo atrás do qual se esconde a "nova liturgia" do "novo jeito de ser Igreja" que eu descrevo e denuncio no presente texto.
      A respeito do resto do parágrafo 6 de Helmut, tenho apenas a acrescentar que o valor profético da missa está na cruz do calvário que é o protesto de Deus contra o coração duro e empedernido do homem. Que é o protesto de Deus contra o mal e o pecado. Não há maior protesto que esse. Não há maior profecia que esta. Cuia de chimarrão não é profecia. Foice e martelo tbm não. São sinais culturais que podem ser quebrados como uma bilha de água ou um pedaço de muro (como Jeremias e Ezequiel) que não fará a menor diferença.

      Excluir
  28. Padre, sou seminarista. Encontrei o seu texto por acaso no facebook e me surpreendi com a sua coragem de expressar tão sábias palavras.
    Fico feliz ao ver que existem padres preocupados com o zelo da liturgia, por perceber que não é nossa, mas de Deus.
    Parabéns pelo seu texto, pelo seu desabafo.
    Que Deus o guie no ministério que a Igreja lhe confiou.
    Reze por mim para que eu seja um sacerdote segundo o Coração de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siga em frente irmão. O sacerdócio é árduo, mas é lindo. Quando fores padre, verás a glória de Deus se manifestando nos outros pela via do seu ministério. Não porque vc o mereça, mas, porque Deus é bom.

      Excluir
  29. Hoje Deus ficou para segundo plano, faz-se de tudo para promover o homem e seus feitos, e quem diz a verdade ou ensina o verdadeiro valor da Santa Missa é repudiado por muitos, que não conhecem nada de sua fé. Deus o abençoe sempre e que permaneça fiel Aquele que tudo vê. Paz e Amor é o que devemos semear.

    ResponderExcluir
  30. Padre, faço suas minhas palavras.
    Que Deus o abençoe, e que a Santa mãe Maria lhe guie sempre!!!!!
    bjux no coração !!!!

    ResponderExcluir
  31. Padre, sou leigo e conheço bem o problema que passa, assim como toda a situação colocada pelo meu amigo Padre Leonardo (comentário lá em cima). No meu blog já escrevi várias coisas sobre o assunto ( http://alobrandalise.blogspot.com.br/search/label/Liturgia ) e também já fui alvo de discordâncias veementes como o senhor foi aqui. Não desista e vamos juntos zelar pelo Sagrado.

    ResponderExcluir
  32. ENTRE TANTOS DIZERES E SABERES, EU COMO LEIGO FICO MEIO QUE RECEOSO AO COMENTAR ALGO SOBRE O TEXTO. MAS COMO CRISTÃO NÃO POSSO NUNCA NEGAR O FATO DE GRANDES VERDADES EXPOSTAS NESSE DESABAFO, É INFELIZMENTE A REALIDADE, E ISSO ME ENTRISTECE SABER QUE A REALIDADE TORNA-SE MUITAS VEZES FANTASIA. DESEJEI POR MUITO TEMPO ARDENTEMENTE SER PADRE, MAS SER SIMPLESMENTE PADRE AQUELE CAPAZ DE TRAZER CRISTO PARA OS ALTARES DA HUMANIDADE RESPEITANDO VEEMENTEMENTE A SAGRADA LITURGIA, AQUILO QUE É BELO, A HUMILDADE QUE A LITURGIA EXPRESSA. AINDA HOJE QUANDO CONVERSO COM MEUS IRMÃOS VOCACIONADOS RECORDO A ELES E PEÇO, SEJAM HUMILDES, SEJAM SERVOS, DEIXEM QUE CRISTO APAREÇA E CRESÇA NO CORAÇÃO DO POVO. O TEMPO NÃO ME CONCEDEU SEGUIR A VOCAÇÃO, MAS ME FAZ SEGUIR A FÉ QUE NUNCA IREI ABANDONAR. O TEXTO ME ENCHE DE ESPERANÇA, NÃO AGUENTO VER TANTOS "ESTILOS" DE MISSAS QUE, COMO JÁ FOI DITO, NOS DEIXAM SAIR TÃO VAZIOS QUANTO CHEGAMOS. BARULHENTAS, COREOGRAFADAS... ENFIM. É LINDO SENTIR TÃO BELOS ANSEIOS DE HUMILDADE, A MESMA DE CRISTO, E A SANTA MISSA É ISSO, O SACRIFÍCIO PERFEITO DERRAMADO NUM GESTO HUMILDE DE ADORAÇÃO A DEUS POR SUA INFINITA MISERICÓRDIA. DEUS SEJA LOUVADO POR SUA CORAGEM DE EXPRESSAR ESTES BONS SENTIMENTOS PADRE, COMO ISSO ALEGRA O NOSSO CORAÇÃO, E CREIO QUE ISSO NÃO É CARREGA DIVISÃO, MAS UM ALERTA QUE PRECISA SER DADO. QUE DEUS COM SEU AMOR VOS ABENÇOE E VOS CONCEDA FORÇA E CORAGEM PARA LUTARMOS JUNTOS NESSE FIRME PROPÓSITO DE TER A SANTA MISSA COM A GRANDEZA DA HUMILDADE DE CRISTO!! PARABÉNS!!

    ResponderExcluir
  33. Olha Padre.... ou amigo... afinal te conheço bem antes de se tornar um padre... e que belo padre se tornou... e olha que são poucos que conheço com tanta consciência.... como disse antigamente as pessoas iam para as igrejas com a intenção de realmente agradecer a Deus... e hoje é difícil de se ver isso... não tenho muitas lembranças boas de quando frequentava igreja... na época a Igreja São Sebastião... porém todos os domingos estava eu lá... sentada assim como vc... no banco da frente... e a parte que mais gostava era as músicas... adorava cantar na igreja... como era boa aquela energia... todos cantando com fervor mesmo... passando muita fé para quem estava ali... fiz não sei quanto tempo de aulas para fazer a minha primeira comunhão... nossa como estava alegre com aquilo tudo.. minha mãe fez ela mesma o vestido para tal ocasião, e então chegou o dia tão esperado, porém não saiu como eu previa, o padre que hoje não me lembro mais o nome, pediu para que eu me retirasse da igreja, pois não estava me vestida adequadamente para aquele lugar, agora pensa em uma qse criança sendo banida da igreja que frequentou por tanto tempo... e acho que vc deve se lembrar dessa época... bom.. sai de lá aos prantos, e só consegui fazer a primeira comunhão porque uma amiga da minha mãe arrumou um casaco para eu colocar por cima do vestido que minha mãe tinha feito com tanto carinho porém era de alças e ela não sabia que precisava ser um vestido com mangas... bom... contei essa história somente para demostrar que as vezes os preconceitos e os julgamentos saem da cabeça de padres que na minha opinião estão longes de ser representantes de Deus... por que sempre aprendi que Deus não escolhe ninguém pela roupa que veste.. .se fosse assim todos nós nasceríamos vestido, não escolhe ninguém pela cor... se não seríamos todos iguais não é verdade... então hoje sou Espírita... mas admiro todas as religiões.. afinal todas tem o mesmo propósito que as pessoas se amem e que amem a Cristo acima de Tudo... que façam sempre o bem sem olhar a quem... e que a estamos aqui apenas para aprender e evoluir como pessoas nos tornando pessoas melhores para Deus e para nós mesmos... então admiro muito quando pessoas como vc... que se propõe a melhor as igrejas... que elas possam ser realmente um lugar sagrado na qual as pessoas possam se sentir acolhidas por Deus... São pessoas como vc que fazem a vida de milhares de pessoas cada dia melhor!!!!

    um grande abraço

    Dábitta Cristhie Bembo Silva Duarte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dábita que bom reencontrar vc neste cyber_espaço. Tenho alguma coisa a dizer a vc. Em primeiro lugar digo que senti em mim o seu desamparo e desalento quando foi proibida de ir à primeira comunhão. Talvez o padre tivesse agido com muito boa intenção. Nem sempre conseguimos ser totalmente bons no que fazemos. É isso que se chama "ser humano". É ser finito e falível, imperfeito, mas, perfectível. Lamento que esta experiência negativa com as pessoas da Igreja a tenha feito se afastar de Deus. Lamento profundamente que isto a tenha desviado da fé cristã. Lamento igualmente o fato de vc não ter tido uma pessoa que lhe ajudasse a compreender a falha do outro ser humano, no caso o padre, para seguir em frente e crescer na fé. Quanto à roupa que se veste, há que se ter um vestuário adequado para ir à Igreja e igualmente há que ter tato pastoral para lidar com situações inesperadas. Estamos todos expostos a errar. Podemos recomeçar sempre que erramos ou sempre que erram conosco porque é preceito cristão amar a todos, amar sempre, ser o primeiro a amar, a perdoar. Assim, para o cristão não há paradas na vida de fé. Há recomeços. Obrigado pelas suas belas palavras.

      Excluir
    2. Dábitta, eu também fiz catequese por loooongos anos para então ter a minha primeira comunhão. Hoje em dia, vai lá fica um ano (e olhe lá!!!) e já sai louco para comer o tal do pãozinho na missa...
      Quanto às pessoas que povoam as Igrejas... Bem, ao longo da minha caminhada eu pude perceber que elas fazem sim toda a diferença... Quando eu comecei a frequentar o Grupo de Jovem ao qual eu faço parte em meados de 2003, sei que muitos viraram as costas para mim pq pensavam que 'Patricinha não serve a Deus'. Falo isso pq já me disseram isso na minha cara. Não me considero patricinha, pelo contrário, ralo muito... E louvo muito a Deus por todas as maravilhas que Ele SEMPRE fez em minha vida e na vida da minha família e mais, sempre proclamo isso, falo para quem quiser e quem não quiser, acaba ouvindo tbm... E hoje, sinto que as pessoas não veem mais aquela armadura.Elas foram meu maior estímulo... Problemas, todos nós temos e teremos. Mas uma vida sem Deus não é nada. Eu falo que a religião é como uma estrada que nos guia a um ponto final; existem desdobramentos, a gente sempre escolhe por onde quer seguir, e alimenta a nossa fé, nos enche de força. Desde que eu escolhi amar e servir na minha humilde disponibilidade de tempo, me considero uma pessoa completa. E eu quero constituir a minha família e quero que o meu lar seja instrumento de evangelização.
      Adoooooro vc e não é de hoje. Venha, vamos à missa. Vamos servir. Dê o seu testemunho, isso pode encorajar muitas outras pessoas que assim como vc tem algo muito valioso para nos oferecer; a bondade, a humildade e um coração puro e manso!

      Excluir
  34. Eu tambem queria falar alguma coisa mas sou fraquinho em tudo mas tambem acho que a Santa Missa em alguns lugares esta meio fora das normas sim.Deus abençoe todos.

    ResponderExcluir
  35. Padre, concordo em grande parte do que o senhor partilhou conosco. Tenho quase 30 anos, fui criada em berço católico e acompanhei a Santa Missa numa cidade que guarda toda a liturgia; tanto que hoje em dia, quando eu participo da Missa lá, chego a estranhar;pois na minha paróquia muita coisa se fez esquecida ou ignorada.
    Quando o senhor se refere ao desfile que virou a Igreja e à falta de respeito com o Cristo ali presente, eu compartilho do mesmo pensamento do senhor.
    Um pouco disso se deve à falta de diálogo, até mesmo dentro de casa, sobre o nosso Senhor. As pessoas não mais tratam religião como base para uma vida inteira. Os ensinamentos cristãos não mais fazem parte do cotidiano do cidadão. Assistir à uma missa toda 'renovada' acaba sendo mais fácil ou cômodo e conveniente muitas das vezes, pois limita à própria Igreja ter que falar de religiosidade e respeito com as coisas de Deus, que passou a ser deixado totalmente de lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa que comentário interessante. Bela colaboração para a compreensão deste fenômeno secularista nas suas expressões concretas.

      Excluir
    2. No decorrer da Semana Nacional da Família falávamos sobre isso Padre. E obrigada por sua tempestiva resposta. E saiba, que no que a Igreja precisar de mim para levar Cristo a todos aqueles que não creem, saiba que eu estou e sempre estarei à disposição. Enquanto eu tiver saúde, a Igreja poderá contar comigo.
      E antes que eu me esqueça, Santa Homilia a que o senhor fez na missa de Santa Rita que celebrou. Tentei guardar as leituras, mas a cabeça deixa a gente na mão! Sábias palavras... Me lembro que cheguei em casa e fui tentar achar na internet, mas não consegui...rs

      Excluir
  36. Bom dia a todos! Sempre gostei de observar como é celebrada a Missa, mas mais do que isso, se está levando as pessoas à conversão. Lógico que a missa deve ter alegria no seu conteúdo, pois Cristo ressuscita. Não podemos esquecer de que o culto que celebramos não é para agradar a homens, mas o culto é a Deus e fazemos memória do Seu sacrifício. "Persona in Cristo" o Sacerdote deve conhecer o seu Mestre. Desculpem a todos, mas acho que a caridade não nos leva a discutir com intolerância o assunto, pois a caridade é paciente e tudo desculpa, mesmo aqueles que erroneamente celebram a Presença Real de Cristo, acreditando que estão certos.

    ResponderExcluir
  37. Bom-dia padre! Salve Maria e Salve São José!
    Fiquei muito surpresa com seu desabafo. Hoje é difícil encontrar um sacerdote com a coragem de expressar sua indignação com as heresias que vêm há tempo acontecendo na Igreja e falar e lutar por ela.
    Ontem enviei um email para o senhor. Fico aguardando um retorno assim que o senhor puder.
    Peço sua bênção sacerdotal e desejo que Deus ilumine cada vez mais o seu caminho e que a Virgem Santíssima o abençoe!

    ResponderExcluir
  38. Ainda bem que hoje a igreja tem como pastor e bispo de Roma o papa Francisco, que prega a aproximação aos pobres e dos sacerdotes a realidade de onde está situada a paróquia. Que bom que a CNBB faz a discussão do texto em sua última assembleia do Paroquia Comunidade de comunidades, que desde o doc. de Aparecida ja pede a "conversão" inclusive dos paróco para este olhar de igreja povo de Deus conforme nos indica o Vaticano II. Penso padre que com todos os seus passos, acusar apenas o distancia da verdadeira realidade onde estão a Rede Celebra, as CEBs e a própria religiosidade popular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serginho a mentalidade por trás desse "novo jeito de ser Igreja", por trás desta eclesiogênese, é aquela que expressa o culto católico como opressor, o povo como oprimido e que busca libertar o culto católico da opressão da hierarquia que, nesta mentalidade, é a que mantém o status quo de um culto distante da realidade dos pobres. Bem, posso reproduzir aqui o pensamento de um professor da Universidade Mackenzie, Rodrigo Franklin de Sousa: "A Teologia da Libertação fez uma opção preferencial pelos pobres, mas os pobres fizeram uma opção pelo pentecostalismo". Então, a que aproximação o senhor se refere? Aquela aproximação intelectualizada, marcada de marxismo, que impregnou a Igreja durante décadas? O Papa prega a aproximação dos pobres, mas, sem a ideologia da libertação. Outro dia li a intervenção do professor Carriquiry no Meeting de Rímini que assim se expressou: "No fundo”, disse o professor uruguaio, “é a mesma imagem que nós vimos quando ele lavou os pés dos menores no centro para menores infratores; quando ele visitou Lampedusa, a favela de Varginha, o hospital para dependentes químicos no Rio de Janeiro...”. E enfatizou: “Não precisa de uma teologia da libertação para isso. É suficiente o evangelho vivido, o abraço da caridade, o testemunho comovido de si mesmo”. A missa para ser próxima do povo não precisa ser avacalhada. Porque, cargas dágua, na mentalidade liberacionista popularizar significa avacalhar? A reforma do Concílio não foi suficiente? É preciso acabar de vez com o que há de Sacrossanto na Igreja? A conversão pastoral que o documento de Aparecida pede, não, exige é também para os liberacionistas. Precisam sair de seus casulos e enfrentar a realidade: a Igreja não lhes pertence. Ela é de Cristo e Cristo é de Deus, ou, para citar São Paulo: sim, a Igreja vos pertence, mas, vós sois de Cristo e Cristo é de Deus. Portanto, nada pode ser feito fora do Corpo senão peca-se contra a unidade, peca-se contra o Cristo. A missa por respeitar as normas da Igreja não faz da Igreja um não-povo-meu (lorurama). A Igreja é mais povo quando cada um faz aquilo, tudo aquilo e somente aquilo que lhe compete na ação litúrgica: "28. Nas celebrações litúrgicas, seja quem for, ministro ou fiel, exercendo o seu ofício, faça tudo e só aquilo que pela natureza da coisa ou pelas normas litúrgicas lhe compete". Eu não estou acusando apenas. Estou mostrando com provas o que afirmo. Bom, quanto a me distanciar destas realidades não posso dizer que eu sofra com isso no presente. É, na verdade, algo benfazejo.

      Excluir
    2. Uma realidade que é apenas das CEBs e outras coisas infectas pela TL não é a realidade verdadeira coisa nenhuma. É uma realidade, se muito, de alguns que residem naquele local em particular. Mas é totalmente estranha a outro bilhão de católicos que nem sabe o que é cachaça ou um quilombo (e nem tem culpa disso).

      O pretexto é de aproximar a liturgia do povo, mas só se aproximam de um pequeno punhado de gente. Fazem o contrário do que se diz. Se um estrangeiro (ou eu mesmo, que não participo dessa "realidade") vai a uma celebração dessas, não reconhece nela a Missa. Se Cristo veio para todos, se Seu Sacrifício no Calvário é atualizado em todo tempo e lugar, uma celebração que só é inteligível por quilombolas trai este ato de Cristo na Igreja. A Santa Missa é universal como a Igreja (que é católica); uma missa com pipoca e saravá é tão restrita quanto um bairro.

      A maior mentira da TL em relação à ação litúrgica é se dizer universal sendo extremamente bairrista; é pegar alguns trejeitos de algumas pessoas em certo lugar e criticar Roma por não tratá-los como comuns à humanidade inteira, urbi et orbi.

      Excluir
  39. Minha opinião é a seguinte:

    Por mais sagrada que a santa missa seja e etc, temos que ver que estamos perdendo muitos fiéis hoje em dia por causa disso, porque são sempre as mesmas músicas, nada se renova, e querendo ou não a igreja precisa se renovar, tanto que hoje em dia os números de evangélicos só crescem a cada ano justamente por causa disso. Eu sendo católico fervoroso, eu acho os católicos muito preguiçosos, não se esforçam em nada, e também acho que a música, que é o que me toca acho que deveria ser melhor, não qualquer um ir la e tocar na missa, temos que fazer as coisas de Deus melhores possíveis.
    E te falo mais, se a igreja católica não se renovar sem perder os princípios básicos da igreja romana apostólica, em 20 anos ou mais seremos minoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, você tem razão; mas não acho que manter o zelo litúrgico e renovar a animação litúrgica sejam coisas excludentes. Por décadas, nos convenceram que arejar a liturgia era mudá-la totalmente. Isso, claro, é mentira. Podemos valorizar a liturgia mantendo seu zelo. Podemos porque já fizemos isso.

      As melhores e maiores revoluções culturais da história do catolicismo nos trouxeram as mais belas expressões litúrgicas na arte e na música: o gregoriano, a polifonia sacra, o barroco, a pintura do renascimento... Tivemos Gregório, Orlando di Lasso, Palestrina, Vivaldi, Michelangelo não por falta de zelo e de senso de sagrado, mas até mesmo por excesso deles.

      Talvez a esculhambação da liturgia seja um choque permitido por Deus para que nos movamos. Talvez a batucada que aparece na sua paróquia seja o incentivo que faltava para você montar um grupo de canto gregoriano. Fizemos isso aqui; as pessoas se aproximam e valorizam, nem que seja por curiosidade.

      Abraços

      Excluir
    2. Paulo Vieira
      1. A missa não é um show e não existe para trazer novidades. A missa existe paa a glorificação de Deus e santificação do homem (SC, n. 7). Nela, o homem deve adaptar a mente às palavras proferidas e aos pastores cabe zelar para que na ação litúrgica se observem as normas e para que os fiéis dela participem consciente, ativa e frutuosamente(SC, n. 11). Note que é o homem quem tem que adaptar-se à liturgia e não a liturgia ao homem. As novas são balizas, margens dentro das quais se pode viver e celebrar de modo consciente, ativo e frutuoso o mistério da nossa salvação. As pessoas que não entendem isso e acham que a missa deve ser um showzinho da boy band do momento, precisa de um bom curso de liturgia e de uma boa catequese. E sim, não se preocupe, seremos minoria porque um pequeno resto voltará, disse o Senhor em Isaías, e o Papa Bento XVI o confirmou. Não tenha medo Paulo, o Senhor estará conosco todos os dias até a consumação dos tempos!

      Excluir
    3. Tente ver as coisas sob outro ângulo.

      1 - Esqueça por hora os problemas da Igreja e ponha o foco EXCLUSIVAMENTE em CRISTO. Não estou criticando você, mas tente ver as coisas DO OUTRO LADO.

      a)Antes de tudo, sem querer desprezar as almas tão preciosas ao Redentor, mas faça a primeira pergunta: "QUEM PRECISA DE QUEM?" É Cristo quem precisa de nós... Ou somos nós que precisamos dEle?
      Cristo é Homem e Deus. Ele tem o poder absoluto para mudar tudo, para recomeçar, para encerrar, para fazer o que quiser. E poderia com um sopro resolver todos os problemas dos fiéis, se quisesse. Então, NÓS É QUEM PRECISAMOS DELE.

      b)Sendo assim, sendo que somos nós quem de alguma maneira temos que "correr atrás do prejuízo", ou seja, ele nos dá de graça a GRAÇA, mas para tanto exige que nós nos convertamos a Ele, que nós nos voltemos Àquele Sagrado Coração e que nós COOPEREMOS com a Graça, praticando a virtude e combatendo o pecado POR AMOR A ELE, então... Devemos para isso fazer TODAS AS COISAS (não só na missa, mas no dia-a-dia) segundo nossa inclinação, OU SEGUNDO A VONTADE DELE?

      +++

      Espero inicialmente tê-lo ajudado a refletir duas verdades: Que Cristo é o Centro, e que diante dEle, devemos fazer as coisas com a intenção de dar a Ele nada menos que O MELHOR.
      Ele é DEUS. Dar a Ele o melhor não é apenas um direito dEle e um dever nosso, mas é um ato de JUSTIÇA.
      É PARA NOSSO SENHOR. Temos que nos desdobrar em mil para retribuir tanto amor com O MELHOR QUE PODEMOS.

      2 - Tenho um livrinho católico catequético aqui em casa, antigo, portanto com maior probabilidade de ter boa doutrina. NÃO É UM LIVRO SOBRE MISSA. Mas diz uma frase que merece ser escrita e emoldurada com letras garrafais: "Devemos servir a Deus COMO ELE QUER SER SERVIDO, e não como nos convém".

      Vou repetir mais uma vez, e não se esqueça deste lema, porque dEle se conclui muito mais do que somente a questão da Missa.

      "Devemos servir a Deus COMO ELE QUER SER SERVIDO, e não como nos convém".

      Esqueça o resto. Esqueça que fulano e beltrano saíram da Igreja, esqueça tudo ao redor. Já viu que em cavalos de corrida se colocam viseiras perto de seus olhos, para evitar que os mesmos se distraiam olhando os lados e só tenham visão para a frente? Pois ponha viseiras espirituais, e olhe apenas para Cristo.

      "Devemos servir a Cristo COMO ELE QUER SER SERVIDO, e não como nos convém". Significa que não podemos servir a Cristo - no caso, na Santa Missa - da forma como você acha legal, ou como eu acho agradável, ou como fulano, ou sicrano, ou beltrano. Quando o padre consagra segundo a intenção da Igreja de repetir os Santos Mistérios, CRISTO ESTÁ ALI. A Santa Missa faz renovar o Sacrifício do Calvário, e depois da Consagração, Cristo está REALMENTE ali, em forma de comida e bebida. MAS É ELE, não é faz de conta.
      Portanto, sabendo que é na Missa que Ele desce de novo ao planeta Terra, só que em forma de comida e de bebida, só resta fazer o MELHOR possível, e antes de tudo, servir COMO ELE QUER SER SERVIDO, e não como nos dá na telha.
      Então cada um vai sair por aí inventando uma missa para satisfazer esse intento? DE FORMA ALGUMA. A Igreja já canonizou e blindou um uso litúrgico de tal maneira, que provavelmente é a forma mais perfeita possível que nós homens podemos oferecer a Deus o que Lhe é de direito: procure a Santa Missa no RITO TRIDENTINO, também conhecido como RITO LATINO, ou TRADICIONAL, porque é o rito que acompanhou a formação espiritual de toda a sociedade ocidental. Foi na Missa Tridentina que se santificaram milhares de Santos, como São João da Cruz, Santa Teresinha, São Padre Pio, Santo Antônio Galvão, São Bento Labre, e muitos, muitos santos. Procure em primeiro lugar ler sobre o que é a Santa Missa. Recolha o máximo de informações que puder, e depois olhe no youtube a santa missa tridentina e tire suas próprias conclusões.

      Excluir
    4. "Minha opinião é a seguinte:

      Por mais sagrada que a santa missa seja e etc, temos que ver que estamos perdendo muitos fiéis hoje em dia por causa disso, porque são sempre as mesmas músicas, nada se renova, e querendo ou não a igreja precisa se renovar, tanto que hoje em dia os números de evangélicos só crescem a cada ano justamente por causa disso."

      Então quer dizer que a única Igreja de Jesus Cristo deveria se rebaixar às sinagogas de satanás? Porque não passam disto as igrejolas protestantes, mesmo que estes falem de Jesus Cristo e da bíblia, não podem fujir de um problemas que os acompanham, são eternos protestantes e protestam contra a Igreja Católica Apostólica Romana, se protesta contra a Esposa de Cristo, protesta contra o próprio Cristo (somente tenho pena das pessoas que se refugiam nestes locais achando que lá estão à salvo do diabo, onde justamente na realidade abrigam-se sob as azas de satanás)
      Mais uma coisa, preocupação com palha? Que é preferível? Alguns diamantes no bolso ou um caminhão de palha?
      Porque o diamante brilha e não se consome, mas a palha só aumenta o fogo que não se estingue. O diamante brilha, enfeita, é durável, embeleza e enriquece, a palha apodrece logo, não enfeita, não brilha e quando uma faísca cai nela consome-se toda. Melhor uma Igreja com 2 famílias, mais meia dúzia de gente que saibam realmente o que estão fazendo lá, e lá vão por AMOR a Deus do que uma Igreja cheia de gente barulhenta, dançante, que está mais preocupada em "buscar felicidade e alegria" que a Cristo.
      Então se esta massa barulhenta está saindo, que vá, nunca foram católicos.


      "Eu sendo católico fervoroso, eu acho os católicos muito preguiçosos, não se esforçam em nada, e também acho que a música, que é o que me toca acho que deveria ser melhor, não qualquer um ir la e tocar na missa, temos que fazer as coisas de Deus melhores possíveis."
      Nesta parte concordo contigo, mas não se preocupe, estes tais católicos preguiçosos são as palhas, gente iludida pela carne, pelo mundo e pelo diabo, e ficaram assim graças ao pluralismo de idéias que surgiu depois do Concílio Vaticano II, onde mercenas introduziram a idéia de um "espírito do concílio" (hehehe, o gasparzinho II), o problema é que se for para ver o espírito do concílio, o Chico Xavier é mais esperto e mais autêntico.
      Creio que se o ministério de música desativasse o violão e a bateria e ativasse os órgãos e órgãos de tubo nas muitas Capelas existentes e os cantos fossem entoados na forma gregoriana o povo se veria diante da ante sala do Céu. Não precisa cantar como o coral da Capela Sistina, pode ter gente meio desafinada no meio, mas um Adoro te devote é inconfundível, insuperável, um Te Deum inconfundível e insuperável, um Magnificat anima mea dominum, não tem o cidadão que não se ponha de forma diferente na missa, muito mais solícito a Deus. Agora quando se canta: sou caipira pira pora, ninguém aguenta. Daí sim, com o caipira pira pora e outras mais, o povo sai da missa e vai para as igrejolas de fundo de quintal.


      "E te falo mais, se a igreja católica não se renovar sem perder os princípios básicos da igreja romana apostólica, em 20 anos ou mais seremos minoria."
      Mas ainda não percebestes isto? Cara em que mundo você vive? E por acaso não sabes do que o próprio Jesus Cristo disse? Quando eu vir, será que encontrarei fé sobre a terra!? Se não fossem antecipados aqueles dias, até mesmo os eleitos sucumbiriam.
      Mas isto ocorre por causa de muitíssimas coisas, uma delas, isto aqui:
      http://fiquefirme.com.br/multimedia-archive/44-ainda-sobre-a-eucaristia/
      não preciso dizer mais nada.
      Fique na paz.

      Excluir
  40. Padre, que felicidade encontrar este texto! Infelizmente encontramos esses problemas em nossas paróquias, umas mais do que outras. E o pior não é nem o o desvirtuamento da Santa Missa, mas das opiniões sobre ele. Quando o sacrifício incruento de Cristo deixou de ser o centro da celebração, ele muito antes deixou de ser o centro dos corações daqueles fiéis.

    Que este texto seja multiplicado muito, e não apenas na internet. Ele devia ser impresso e distribuído nas paróquias que sofrem desses males. Deve ser discutido nas catequeses e reuniões paroquiais. É lamentável testemunhar esses problemas, mas saiamos do lamento! O zelo pela casa do Senhor realmente nos consome...

    Grande abraço, sua bênção.

    ResponderExcluir
  41. Me dava arrepios quando eu ia às Missas na cidade de S. Paulo e os comunas começavam a exaltar os Quilombos, Zumbi dos Palmares, começavam a oferecer cachaça e pipoca, eu simplesmente ficava atônito, mas graças a Deus, as missas no interior de S. Paulo ainda não foram manchadas pela TL.

    ResponderExcluir
  42. Parabéns pelo texto, padre Luis Fernando. Que Deus conserve a tua fidelidade e te santifique a cada dia.

    ResponderExcluir
  43. Aqui em Osasco onde moro, nossa diocese zela bastante pela tradição nas missas. Algum tempo atrás as missas começaram a ficar um tanto diferentes de uma comunidade para a outra, nosso bispo Dom Ercílio chamou todos os Padres a um retiro, e segundo nosso Vigário que na época era nosso Pároco, Pe. Nelson, a bronca foi beeeeem dura, inclusive ocorreram várias mudanças para que a missa voltasse a ficar como sempre foi e não deveria deixar de ser, até mesmo as músicas sofreram mudanças, mas sabemos que todas elas foram para melhor, e nossas missas estão de volta à tradição.

    ResponderExcluir
  44. Padre, é lamentável mesmo a situação da nossa Igreja, eu mesma já presenciei abusos litúrgicos e fiquei de boca aberta porque não achava que viveria para ver isso. Por isso peço que Deus ilumine a mente de tantos padres que se esqueceram do verdadeiro valor do Santo Sacrifício.
    Oremos pelas vocações!

    Benção padre.

    ResponderExcluir
  45. Nossa igreja deveria ser chamada de " Católica Apostólica Cristã ".
    Posto que foi Roma que matou Jesus.
    Creio em Deus Pai, Deus Filho e em Deus Espírito Santo !!!
    Creio na Trindade Santa.
    Creio em Um Só Corpo e Um Só Espírito.
    E pra mim Deus é TUDO literalmente, TUDO.

    ResponderExcluir
  46. Parabéns Padre. O Sr fez exatamente o que devia. Cuidado com os terríveis Leões de Chácara da Igreja,Os Bispos, eles poderão mandar matar-lhe.
    Bravo! Viva a sua Coragem.

    ++ Dom Marcos de Santa Helena osc.
    Bispo Tradicionalista Anglo-Católico.

    ResponderExcluir
  47. Eu acho que problemas na Igreja existe como sempre vai existir, mas, deve ser pensado com sensatez, basta pensar como São Francisco ficar de dentro e batalhar para que aja as mudanças sem escandalizar. Porque todos somos membros desta Igreja.

    ResponderExcluir
  48. Prezado Padre

    Admiráveis Palavras...

    Outro ponto que vejo são as novas igrejas, sem sacrário no meio e muitas vezes com a cadeira do padre no centro...tiraram Deus do centro e colocaram o Homem...
    nestas igrejas tem como, ou melhor,se consegue realizar o Rito Tridentino? Difícil né? Uma igrejas (templo)que não conseguem ser Igreja...

    ResponderExcluir
  49. Isso Padre, enxergar Jesus presente nos acidentes do pão e vinho, necessita ter o espírito da Liturgia, cultura bíblica, hermenêutica para uma boa exegese, conhecer a tradição dos Santos Padres da Igreja, o Catecismo da Igreja para entender que o símbolo da fé foi uma construção de respostas contra muitas heresias, como sabemos , todas elas cristológicas. Então, colocar uma enxada nas mãos de Jesus, torna-se mais uma dessas heresias. Tudo já foi definido, mas temos ainda, muitos teimosos!

    ResponderExcluir
  50. Parabéns Padre, é bom ver sacerdotes exemplares como o senhor!
    Deus o guarde e conserve.
    A sua benção.

    ResponderExcluir
  51. BENDITO SEJA DEUS !!! MUITO FELIZ E AGRADECIDA A DEUS ,POR CONFIRMAR A MINHA FÉ ATRAVÉS DE SACERDOTE COMO SENHOR ,FIEL A SANTA IGREJA DE CRISTO. MUITO OBRIGADO PADRE PELO SEU SIM ,POR SUA FIDELIDADE . QUE O BOM DEUS TE ABENÇOE E TE GUARDE .

    ResponderExcluir
  52. Padre,a sua benção.

    Não o conheço e muito menos o seu trabalho e dedicação a Santa Igreja. Mas ,apenas por este post,já tens minha admiração.

    Me vejo nessa realidade(A Igreja de Vitória-ES tem muito dessas realidades, infelizmente)e isso entristece demais o meu coração, porque tem gente demais tentando tirar o foco do Santo Sacrifício.

    Com certeza o senhor sabe disso, mas como pai espiritual (do povo da sua paróquia e da cada um de nós que ouve suas palavras enquanto padre), a sua vivência de santidade e obediência verdadeira a Igreja é e será caminho pra nossa conversão também.

    Que Deus te abençôe e continue conduzindo teu ministério nos caminhos dEle através do que Ele nos ensina pela Santa Igreja. E que ele continue te fortalecendo para combater todas as heresias do mundo moderno. Os enfrentamentos que o senhor enfrenta nada são perto das almas que encontram a Deus através dos corretos ensinamentos.


    Paz e Bem.

    ResponderExcluir
  53. Parabéns, meu caro irmão!
    Deus te guarde nessa cruzada.
    Protejamos nossa fé.

    ResponderExcluir
  54. Sabe Padre, acredito que sei como pensas , e me pergunto: Por acaso a ovelha não conhece o seu PASTOR ? - Por acaso o PASTOR não conhece a sua ovelha ?
    A nós cristãos não foi dado a missão de evangelizar ? Em todos os meios em que nos encontramos , lá não está o nosso Deus que tudo e a todos criou ?
    Sabemos que ao cortar uma madeira , lá estará Deus , sabemos também que ao levantarmos uma pedra , também encontraremos Deus. Ao Sr. ,padre , foi dado o dom do conhecimento e sabedoria. Distribua igualmente com todos . PAZ E BEM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belas palavras no início da sua colocação. No entanto, ainda que vejamos Deus na obra da criação Ele não se confunde com ela. Não somos panteístas, ou seja, não cremos que tudo o que há é Deus. A natureza EXPRESSA Deus, não é Deus. A pedra, a madeira e tudo mais são uma via de acesso a Deus, mas, Deus é Trindade de pessoas e é reconhecido no homem, no ser humano, sua imagem e semelhança. Uma pedra e a madeira não são imagem e semelhança de Deus. Isto posto, concluo afirmando que é preciso debelar do nosso meio católico um velado misticismo trazido por filmes como Stigmata que nega a verdade da revelação como um dado objetivo feita a um povo objetivo por um homem particular, Jesus de Nazaré, que fundou UMA Igreja e não várias. Mentalidade recorrente dentro do relativismo cultural que é a moda do momento.

      Excluir
  55. Boa Noite.
    Paz e bem. Salve Maria.
    Sua benção Padre Luis.
    Que Deus o abençoe e proteja, São miguel Arcanjo lhe defenda no combate.
    Excelente testemunho sobre as atuais missas, realmente é de entristecer o coração. O link de sua matéria foi postada com sucesso em nosso blog. católico.http://aartedabiblia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  56. Excelente

    o texto e os comentários...

    debate de nível

    a citação do Papa Bento foi magnífica

    Salve Maria

    Pax

    ResponderExcluir
  57. Vendo qualquer abuso cometido, permitido ou até incentivado por um padre nas Missas, reportem ao bispo, ele saberá dar um puxão de orelha. Agora se até o bispo for meio progressista, peça auxílio a um bispo de verdade e ele levará o caso para o Vaticano (não significa passar por cima da hierarquia, mas quando não se nos ouvem, o que não podemos é ficar feito múmias).

    ResponderExcluir
  58. Soussa Sousa ESSE PADRE NOSTÁLGICO NÃO SOUBE À LUZ DA PALAVRA DE DEUS FAZER UMA MELHOR HERMENÊUTICA DO POVO DE DEUS NA SUA REALIDADE HISTÓRICA E ECLESIAL. A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO NÃO É ESSE SEU PENSAMENTO RUDE E SIM UMA TEOLOGIA EM SINTONIA COM O MAGNÍFICO DOCUMENTO VATICANO SEGUNDO QUE ABRIU AS PORTAS DA IGREJA E CONSTITUINDO OS FIÉIS COMO: "POVO DE DEUS" DANDO-LHE PELA FORÇA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO A OPÇÃO PREFERENCIAL PELOS POBRES E JOVENS, UM PADRE MAIS NO MEIO DO POVO PARA CELEBRAR MISSA E SACRAMENTOS FRENTE PARA O FIÉIS, FALANDO A MESMA LÍNGUA... PERCEBO QUE SUA FORMAÇÃO FILOSÓFICA E TEOLÓGICA (CURSOS QUE ÀS VEZES NÃO SÃO RECONHECIDOS PELO MEC POR SEREM DOGMÁTICOS E SEM CARÁTER ÉTICO NA VIDA PROFISSIONAL), FOI MUITO ALIENADA. O IDEAL QUE ELE REFIZESSE NOVAMENTE TUDO PARA OBTER SABEDORIA OU REFLETISSE AS MENSAGENS E ATITUDES DO PAPA FRANCISCO QUE NÃO CONDENA, MAS ACOLHE TODAS AS PRÁTICAS LITÚRGICAS, EVANGELIZADORAS, SACRAMENTAIS E PESSOAS HISTÓRICAS DA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO E DE VÁRIOS MOVIMENTOS DA MATER ECLESIA. ELE TEM QUE GUARDAR NO CORAÇÃO É FÉ, AMOR, GRATIDÃO E CARIDADE. QUANDO ELE FOI CRIANÇA A IGREJA ERA CASADA COM O PODER POLÍTICO E HOJE ELA É SINAL DE SACRAMENTO UNIVERSAL PARA O POVO DE DEUS QUE VIVE SUA SIMPLICIDADE, INTEGRADO NAS PASTORAIS PAROQUIAIS E QUE FAZ UM NOVO JEITO PERMANENTE DE SER IGREJA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Concílio Vaticano II deu origem a documentos oficiais da Igreja, ele não contradiz todos os outros documentos da mesma Igreja, inclusive os decretos que surgiram depois para corrigir os abusos feitos em nome do Concílio que nunca foram sequer permitidos pelo mesmo Concílio. O Concílio não entra em contradição com a Redemptionis Sacramentum, por exemplo, porque a Igreja guarda o depósito da fé, ela nos transmite uma Verdade que jamais se contradiz desde a era apostólica. O relativismo e o modernismo tentam romper com o passado. Mas a Igreja guarda a Verdade eterna. Ela não pertence ao passado, ao presente ou ao futuro, mas à eternidade. O padre não foi nostálgico, ele foi justo. As novidades nunca devem romper com a continuidade da doutrina da Igreja, que é o fundamento da sua própria coerência e prova de que estamos partindo de uma fonte segura que nos comunica com a fé de 2000 anos, como nos diz o PAPA FRANCISCO na Encíclica Lumen Fidei. A sucessão dos Apóstolos, a transmissão da Tradição é o que garante que estamos guardando o patrimônio que nos foi deixado por Jesus. Ser Igreja não é inventar uma fé nova, é encontrar modos novos de transmitir a fé de sempre. Não podemos, em nome da inclusão e da tolerância, renunciar à transmissão da fé. Não somos verdadeiros evangelizadores se não transmitimos a fé toda, a fé de Cruz. Somos falsos evangelizadores se pregamos um outro evangelho, um evangelho light, um evangelho que agrade... se a Verdade agradasse a todos, nosso Senhor nem teria sido crucificado.

      Excluir
    2. Pontos dos quais discordo do senhor Rosivaldo Souza e porquê.

      1. Não sou um padre nostálgico. Sou um padre que tem os pés no chão da realidade litúrgica das comunidades nas quais celebro todos os dias e dos lugares pelos quais passei. Não sou nostálgico do passado ou da missa de Pio V. Sou um Padre do Concílio Vaticano II. Sou crítico do relativismo litúrgico, do seu antropocentrismo e da sua descaracterização.
      2. Não consegui entender o que vc quis dizer com "hermenêutica do povo de Deus". Seria uma interpretação do povo de Deus na sua realidade histórica e eclesial à luz da Palavra de Deus? Se for isso então eu o fiz, ao contrário do que vc afirma. O que não falta no meu texto é o apoio à realidade sofrida do povo de Deus que sofre na mão dos algozes que lhes impõe uma liturgia que não é a liturgia da Igreja, do verdadeiro povo de Deus, mas, da cabeça de alguns déspotas.
      3. A teologia da libertação não é o meu pensamento, mesmo! Ela é bem mais que isso. Leia Christus Dominus, leia Dominus Iesus, leia as respostas da Congregação para a doutrina da Fé nas questões relativas à teologia da libertação. Ali se traça o seu perfil. Leia o Papa Francisco. Leia as considerações do Meeting de Rimini há poucos dias sobre a mesma T.L. Acho que não preciso dizer mais nada sobre esta questão.
      4. A T.L. não abriu as portas da Igreja para o povo pq o povo já estava dentro da Igreja. Vc tem uma compreensão equivocada do que seja povo de Deus. Esquece que esse povo de Deus já é constituído desde a Igreja primitiva. O Concílio sublinhou esta característica que já vinha sendo compreendida desde o Papa Pio XII, o movimento litúrgico, o movimento bíblico... Certamente nunca lestes uma linha da Mystici Corporis de Pio XII! Sua compreensão é pífia!
      5. O padre já é do meio do povo porque é de lá que ele sai (cf. epístola aos Hebreus!).
      6. Quanto à formação que recebi no seminário de fato não foi a melhor. Tive ainda aulas com professores ligados à T.L. o que foi uma pena! O mais liberacionista era também o mais totalitário na sala de aula. Paradoxal, não?! Minha formação - ainda falando nesse assunto - não foi alienada (seja lá o que isso signifique para vc). Fui bem formado, estudei o necessário e não me furtei ao esforço dos estudos. Sabedoria, meu caro, não se garante em livros. Veja seu papa, papa-Boff, de cristão que era se tornou panteísta! Sabedoria é outra coisa, vem de outro lugar (se é que vc já leu alguma vez o livro da sabedoria na Bíblia).

      Excluir
    3. continuando...

      7. O Papa Francisco não é liberal meu caro. Ele acabou de excomungar um padre em Melbourne, Greg Reinolds, por defender ordenação de mulheres e casamento gay. Ele não aprova "todas as liturgias" (acho que isso significa a bagunça que eu denuncio no meu texto) e sacramentais meu caro. Caso aprovasse ele não seria Papa!
      8. Um momento: Vc nega que a Igreja tenha sido sacramento universal de salvação antes da T.L. ou, antes do Concílio Vaticano II? Pretensão pouca é bobagem! A Igreja, meu caro, não começou com o Concílio. Aquele foi apenas o 21º Concílio da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo fundada por ele sobre o fundamento dos Apóstolos na unção do Espírito Santo (cf. Documento de Estudos da CNBB. Comunidade de comunidades: Uma nova Paróquia. Nº 6).
      9. Jesus! A sua ignorância formativa crassa aos ouvidos! A Igreja não é sinal de salvação somente para os que estão integrados nas pastorais ou na CEB`s! Ela é sinal de salvação também para quem nunca ouviu falar de Nosso Senhor Jesus Cristo. Aqueles só se salvam por causa desta Igreja! Sua eclesiologia é risível! Aliás, como o é a catequese do CEBI, das CEB`s e da T.L.
      10. Primeiro: Não fui antiético com nenhum padre porque não citei nenhum. Eu denunciei ao largo uma situação de erro que muitos vivem e promovem. O erro é objetivo e denunciá-lo não é ser antiético. É ser profeta! Segundo: Estou em consonância com a Igreja hierárquica. Com meu Bispo. Com o Papa. Estou em plena unidade com a Igreja. Terceiro: ser padre não é uma profissão, meu caro. Ser padre é uma vocação. Não somos fazedores de coisas. Somos aqueles que vivemos o que cremos, que anunciamos o que Dele ouvimos e praticamos o que anunciamos. Por último: o que tem o interesse sexual de outrem a ver com o meu texto?!

      Por fim: Vc não tem nenhuma coerência no que diz a não ser a coerência de quem não quer ser UM com o Corpo de Cristo, mas, que quer fazer uma Igreja à sua imagem e semelhança.

      Excluir
    4. Olá,Padre,a sua bênção! Nossa,que "aula magnífica"essa sua resposta!Deus o abençoe e lhe conserve em santidade!Rezo todos os dias a Nossa Senhora e a Sta.Teresinha pela santificação dos sacerdotes.Nosso pároco é parecido com o sr.: jovem (ordenado há 2 anos)e fiel a seu chamado e à Santa Mãe Igreja,ele usa batina preta,é piedoso e celebra a Missa santamente.Sou da Renovação Carismática Católica e amo a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo e todos os sacerdotes!Salve Maria!

      Excluir
  59. Padre Luís Fernando, seja firme na fé. A pobreza é exatamente isso: nada ter de "seu próprio", mas tudo receber da Igreja em obediência. Fico muito feliz de ver que o relativismo não penetrou no seu escudo da fé. Graças sejam dadas a Deus! Felizes os pobres de espírito! Por favor continue sendo luz para muitos. Não desanime por aqueles que preferem as trevas e os bens menores... te agradeço por nos mostrar o Supremo Bem.

    ResponderExcluir
  60. O pessoal da T.L. projeta toda a sua ideologia no Papa Francisco. Vai ser uma pena quando se decepcionarem. Vai um recado: O Papa é maior que a T.L. pq ele é o chefe universal da Igreja!

    ResponderExcluir
  61. Seria uma pena se...

    O Papa nunca adotou a teologia da libertação, diz autoridade do Vaticano

    Fonte:
    http://acidigital.com/noticia.php?id=26089

    SQN...

    ResponderExcluir
  62. Rev. Padre, a verdadeira Missa e a Igreja ainda vivem na Tradição Católica que preserva a Missa de Sempre e a sã doutrina não foi contaminadas pelo Vaticano II. Mais informações: http://campograndecatolica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado GdA,a Paz de Cristo!Achei estranha sua colocação - e o Padre Luís Fernando pode me ajudar ou corrigir - mas,não entendo como as pessoas dizem que amam a Igreja Católica e ficam condenando o Concílio Vaticano II,que foi uma decisão da própria Igreja,iniciada pelo Beato Papa João XXIII !O Concílio Vaticano II,como os demais Concílios,são de uma riqueza inestimável para a Igreja,nos orientam e conduzem.Como alguém pode se dizer fiel à Igreja e não concordar com as decisões da mesma?E como assim,"a verdadeira Missa"?A Santa Missa sempre foi,é e será a memória do Santo Sacrifício de Cristo na Cruz.Participei de um curso ,na minha paróquia,sobre o "Sacrossanctum Concilium",um dos documentos do Concílio Vaticano II,sobre a Liturgia.Não acho que o CVII "contaminou" nossa doutrina ,pelo contrário,a enriqueceu e tornou acessível a todos os batizados.Abraço fraterno!Salve Maria!

      Excluir
  63. A Igreja é Mãe e como mãe acolhe todos em seu seio, ora, sou mãe e sei que cada filho meu é diferente, e respeito isso, e com autoridade, vou corrigindo os excessos, a Mãe Igreja é assim e mais ainda, pois que nem sou digna de ser chamada "filha", mas sou feliz por ser católica. Sou feliz de conhecê-la e amá-la através do Movimento RCC. Os que verdadeiramente estão neste movimento como filhos da Igreja, ama e sabe o seu valor, sabe o verdadeiro valor da Santa Missa, falo daqueles que são efetivos não dos afetivos, e sei que muitos irmãos de outros Movimentos e Pastorais, desde que efetivos, também sabem o verdadeiro valor da Santa Missa. Há abusos, mas há conversões e eu sei que a Igreja valoriza muito quando pessoas são renovadas e são verdadeiramente transformadas em filhos da Santa Igreja. TOTUS TUUS MARIAE!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém,Sandra!Aprendi a amar mais a Santa Igreja quando entrei na Renovação Carismática Católica!Bendito seja Deus pela unidade na diversidade através do Espírito Santo !Que Maria Santíssima nos conduza !Abraço fraterno!

      Excluir
  64. Parabenizo ao Pe. Fernando pelo desabafo e pela coragem em tratar desse assunto. Também, sinto-me feliz por termos padres como o Pe. Fernando, poucos, mas que podem ser chamados de Guerreiros de Deus. Como fiel católico, esclarecido, também reclamo de homilias descompromissadas com o evangelho e desligada da Doutrina da Igreja. Reclamo da falta de preparação das homilias, as quais deveria ser uma catequese, pois esta deveria ser continuada na frequência dos fieis à Missa, como o fazia o Curo D'Ars.

    Estou com 64 anos. Quando frequentei catecismo (década de 60), entre a formação doutrinária da catequese, também prendíamos urbanidade, civilidade, noutras palavras, aprendíamos a nos comportar dentro da Igreja. Nada de braços e pernas cruzadas, como as pessoas fazem hoje; nada de conversar, lá, dentro da casa de Deus faz-se silêncio, recolhe-se e ora-se. Prepara-se para receber o Corpo de Cristo.

    As profecias falam da decadência moral e espiritual dos representantes dessa Igreja - não de todos é claro, mas da maioria - que, por sua vez, influenciaria o comportamento dos fieis, o seu modo de ver a Missa.

    Temos comportamentos heréticos e apóstatas de sacerdotes e de fieis. Mas, nossa Mãezinha disse que a Igreja não será derrotada.

    Enquanto isso, os católicos verdadeiros devem cerrar fileira ao lado do sacerdote "para sempre". Continuemos a orar pelos sacerdotes e por toda a Igreja. Nossa Senhora disse que o céu PRECISA dos sacerdotes, referindo-se ao porvir apocalíptico dos tempos.

    Que o Pai o abençoe Pe. Fernando! Continue firme, "confirmando os irmãos na fé".

    Elio Batista Salça

    ResponderExcluir
  65. Lembro aquele texto de S.Paulo cujo teor íntegro não tenho agora às mãos: De nada adianta eu falar várias linguas, se não tiver amor.Cito esta passagem porque observo aqui a agressividade de alguns ao falar sobre os comentários de outros, com insultos , menosprezo etc. : Quê isto minha gente, onde está s caridade cristã que nosso próximo merece?. Com tristeza ,um grande abraço à todos

    ResponderExcluir
  66. 1 Coríntios 13:
    1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
    2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
    3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
    4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
    5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
    6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
    7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
    8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
    9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
    10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
    11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
    12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
    13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
    Obs.: boa parte,concordo, a outra acho exagero. Deus abençoe a todos! (Pe. Ney Oliveira)

    ResponderExcluir
  67. Sua bênção. Sinto a mesma dor, caro padre. Tento abrir processo canônico, mas a diocese me fechou as portas. Sobre o pretexto de falsa caridade e misericórdia, faz-se de tudo hoje em dia. Quisera Deus que se voltasse tempos com santos como São Tomas More o qual, diante dum herege, ordenava: cortem-lhe a cabeça!!! Ainda irei à Roma, processar a CNBB. Não há a mínima vergonha em publicar documentos oficiais contrários à fé da Igreja e apelando para uma falsa obediência, muitos membros do clero justificam seu desleixo.

    ResponderExcluir
  68. Padre me dar orgulho e aumenta em mim a vontade de cada vez mais conhecer a Santa Igreja, quando encontro alguém que busca viver e resgatar a autenticidade da verdadeira IGREJA e trabalho para pregar a autenticidade do Evangelho de Cristo.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  69. Me dê a sua bençao, Vicarius Christi...

    ResponderExcluir
  70. A Teologia da Libertação tem mesmo que fazer esse papel social que a igreja tradicional deixou de lado, pois dar voz aos que não têm voz se faz necessário e para tanto têm respaldo bíblico e seguem exatamente o que lá está escrito.Graças a Deus que um grupo desses religiosos se preocupam com o pobre empobrecido pelo sistema capitalista e opressor. Aplaude de pé esses homens corajosos de Deus como Dom Pedro Casaldálida, Leonardo e Clodovis Boff, Gustavo Gutierrez, grande idealizador desse projeto fantástico e outros embuídos na mesma causa. O Brasil precisa de intelectuais como estes para pelo menos diminuir a desigualdade gritante que impera nesse Brasil há anos.
    Avante Padre Fernando! Acorde para "amar o próximo como a ti mesmo", ainda que para isso seja necessário fazer esse "estardalhaço" dentro e fora da igreja, afinal, esta é arma que têm para lutar.
    Boa sorte nesta luta!!

    ResponderExcluir
  71. A Teologia da Libertação tem mesmo que fazer esse papel social que a igreja tradicional deixou de lado, pois dar voz aos que não têm voz se faz necessário e para tanto têm respaldo bíblico e seguem exatamente o que lá está escrito.Graças a Deus que um grupo desses religiosos se preocupam com o pobre empobrecido pelo sistema capitalista e opressor. Aplaudo de pé esses homens corajosos de Deus como Dom Pedro Casaldálida, Leonardo e Clodovis Boff, Gustavo Gutierrez, grande idealizador desse projeto fantástico e outros embuídos na mesma causa. O Brasil precisa de intelectuais como estes para pelo menos diminuir a desigualdade gritante que impera nesse Brasil há anos.
    Avante Padre Fernando! Acorde para "amar o próximo como a ti mesmo", ainda que para isso seja necessário fazer esse "estardalhaço" dentro e fora da igreja, afinal, esta é arma que têm para lutar.
    Boa sorte nesta luta!!

    ResponderExcluir
  72. A Teologia da Libertação tem mesmo que fazer esse papel social que a igreja tradicional deixou de lado, pois dar voz aos que não têm voz se faz necessário e para tanto têm respaldo bíblico e seguem exatamente o que lá está escrito.Graças a Deus que um grupo desses religiosos se preocupam com o pobre empobrecido pelo sistema capitalista e opressor. Aplaudo de pé esses homens corajosos de Deus como Dom Pedro Casaldálida, Leonardo e Clodovis Boff, Gustavo Gutierrez, grande idealizador desse projeto fantástico e outros embuídos na mesma causa. O Brasil precisa de intelectuais como estes para pelo menos diminuir a desigualdade gritante que impera nesse Brasil há anos.
    Avante Padre Fernando! Acorde para "amar o próximo como a ti mesmo", ainda que para isso seja necessário fazer esse "estardalhaço" dentro e fora da igreja, afinal, esta é arma que têm para lutar.
    Boa sorte nesta luta!!

    ResponderExcluir