Páginas

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Férias legais, Natal Legal, o Grinch e Jesus


Neste início de férias, pululam para todos os lados matérias de como fazer as férias de seus filhos serem "legais". São programas recheados de diversão, pipoca, muito açúcar, muita Tv, videogame e para os endinheirados, colônias de férias para manter os filhos o maior tempo possível afastados de casa para não darem muito trabalho. Não acho que um programa de férias seja de todo ruim. O que me incomoda demais é essa necessidade quase patológica de que seja "legal". Happy funny pra todo mundo!!! Ou seja, não basta ser férias, tem que ser super-hiper-mega divertido. Esta postura das férias legais super-hiper-mega divertido vem do mesmo lugar que diz que fim de semana tem que ser super-hiper-mega divertido, que o Natal, Ano Novo, Páscoa e todo feriado prolongado também.

O que eu vejo de errado nisto tudo? Não é errado querer um pouco de lazer, aliás, para nossa saúde todos precisamos de lazer, de descontrair um pouco e sair da rotina. Mas, o que era para ser uma coisa prazerosa, não programada, o que era para ser vida, força bruta, vital e descontrolada como um rio (vide as férias das crianças) se transforma num meeting empresarial com hora para começar e terminar. As crianças já nem podem ser mais crianças, diga-se de passagem, pois, estão repletas de aulas disso e daquilo por todos os horários do dia. Crescem com uma mensagem subliminar: "Se você não for melhor que o Joãozinho ninguém vai gostar de você porque você vai ser um burro/a e ninguém gosta dos burros". Daí todo o estresse dos vestibulares e das escolas particulares que preparam seus alunos para a "batalha da vida!" (sic!).

Um filme do ano 2.000, "O Grinch" contava a história de uma criatura má que odiava o natal e a felicidade do natal. Muito parecido com o Gargamel dos Smurfs. O Grinch tem sua razão de existir. Transformaram a felicidade em algo comercializável e a tristeza em algo horrível. Pegaram o sofrimento e o transformaram no Grinch e a alegria carnavalesca das coisas legais em o Oásis onde todos podem se refugiar e onde estarão amparados do sofrimento, da tristeza e da solidão. Porém, não há lugar para o qual se refugiar quando a solidão ou o sofrimento ou a dor apertar dentro do peito. Não há Oásis de refúgio das tristezas da vida, pois, elas nos encontram. Outro dia eu li uma frase de uma linha que me trouxe a escrever este texto. Nela seu autor dizia - com outras palavras - que a depressão tem muito mais possibilidade de levar a pessoa até Deus do que esta alegria carnavalesca "legal" de hoje. Meditei muito sobre esta frase e escrevi este texto. Não quero ninguém depressivo. Mas, acho que fugir de si, fugir de Deus, fugir do contato humano, fugir do sofrimento, da tristeza, da dor, do luto e das perdas agarrando-se às coisas legais e às alegrias epidérmicas da vida é angariar para si maior sofrimento no final, maior solidão, maior tristeza e maior vazio. Por isso as crianças e os jovens desta geração são tão fracos diante do sofrimento, da dor, da perda, do luto. Não aprenderam sofrer porque não aprenderam viver. Viveram vidas muito legais e tão legais quanto artificiais. A vida real é bem menos açucarada, não tem neons e seus tons variam mais para o preto, o branco e o cinza do que para os coloridíssimos Restart.

Na solidão o homem encontra Deus e encontra-se consigo mesmo. Na tristeza encontra-se com sua limitação. No sofrimento com a misericórdia de Deus e com sua própria humanidade. No sofrimento do outro encontra o outro e Deus. As férias legais não deixam espaço para o silêncio, para o vazio, para a ausência, para a falta, para Deus. As férias deveriam ser menos legais, digo artificiais, e mais humanas, mais divinas.

Quando Jesus, no evangelho de São Lucas, profere os "Ais", ele diz: "Ai de vós, os ricos, que já tendes a vossa consolação" (Lc 6,24). Este versículo se liga à primeira das Bem-Aventuranças: "Bem-Aventurados os pobres, porque deles é o reino dos céus" (Lc 6,20). Muito me questiona estas duas frases de Jesus, simples e diretas e com elas, questiono este modus vivendi: Um católico pode ter estas "férias legais" que o mundo proporciona? Há, de fato e sem subterfúgios, espaço para Deus na vida das pessoas que deixam todo o seu tempo tomado por estas diversões da carne? "Ai de vós..." disse Jesus, ai dos ricos que já têm consolação! Sejam ricos monetariamente, sejam os ricos de si que não deixam espaço para Deus nas suas vidas. Ai de vós!

sábado, 10 de dezembro de 2011

Como a Record apresenta a JMJ do Rio?

Os aparato televisivo do Sr. Edir Macedo, a Tv Record, começou mostrar a JMJ de 2013 com esta pseudo-reportagem aqui. Em nome de uma suposta moral ilibada contra a "imoralidade" dos políticos sujos, vide deputada Myrian Rios, a Tv Record contrapõe assim a ação da Deputada Myrian Rios de requerer por meio de uma emenda a colaboração do Estado do Rio de Janeiro à Jornada Mundial da Juventude à população do Rio de Janeiro, e do Brasil, indo na onda do politicamente correto que atualmente toma conta do agir ético brasileiro! É uma fossa esta resportagem. A pergunta capsciosa e as respostas previsíveis dos entrevistados, mostram que o grande desejo daquela rede televisiva é esvaziar a emenda da deputada de qualquer aparato legal, constitucional e moral. Ainda mais, sabendo de sua repercussão social, visa ainda desacreditar a mesma deputada frente aos eleitores apresentando-na pela imagem de uma "deputada-pelego" da Igreja Católica, disposta a "assaltar" os cofres públicos para Igreja. Ora, ora! Das respostas dos entrevistados, depreende-se que nem a Copa do Mundo deveria ser realizada naquela cidade, pois que na ocasião não somente a cidade, mas, todo o país estará um caos, mormente nossos aeroportos! Tampouco as Olimpíadas!!! A despeito de qualquer crítica, se os políticos não roubassem bilhões de reais anualmente, estes cinco milhões dados à Organização da JMJ não causariam tantos furores na população. E ainda mais, quem é que está querendo dar lições de Moral na Igreja Católica ou na Deputada Myrian Rios? A Rede Record, do Sr. Edir Macedo, que já teve deputados, pastores e bispos presos com dinheiro nas malas e cuecas por aí? A Rede Record, do Sr. Edir Macedo, que comanda uma quadrilha pelo país sob a alcunha de "Igreja Universal do Reino de Deus"? A mesma Rede Record que nos anos 90 veiculava o programa "25ª Hora" com a apresentação do Pastor Ronaldo Didini que tinha, como maior escopo, falar mal da Igreja Católica e atacá-la? Penso que não preciso dizer nada mais. Já se percebe qual fora e qual é o escopo da Rede Record, do Sr. Edir Macedo e já podemos prever como será a cobertura da JMJ.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A natureza da Sagrada Liturgia

Conforme a Sacrossanctum Concilium n. 5 a 13, a liturgia é obra divino-humana. Neste link (aqui) você poderá fazer o download de um artigo que apresentei na Conferência de abertura da II Semana Litúrgica da região sul da Diocese em 01/12/2011. É um texto um pouco extenso, mas que vale a pena ler para conhecer melhor e mais a fundo a natureza da liturgia que celebramos. Só peço que ao citar o presente texto, cite a fonte do mesmo.