Páginas

sábado, 11 de junho de 2011

A relevância dos irrelevantes


Temo que este seja mais um texto inútil em meu blog. Os leitores me acompanham e eu acompanho o movimento de leitura do meu blog com vivo interesse. Há cerca de 100 postagens no meu blog, mas, as que mais atraem a leitura do internauta e rende comentários - às vezes extensos - são notadamente as questões candentes do momento. Aquelas que pululam na mídia e eu, como bom cristão que sou com minha veia saguíneo-colérica, acabo deixando me levar por elas e tantas vezes exponho o que penso acerca de tais coisas/acontecimentos polarizando a atenção do meu leitor. Se eu fosse um escritor sacana em busca de publicidade continuaria nesta linha de ação angariando "rivais" e "adeptos", o que em ambos os casos me daria "audiência". Porém, o que me preocupa não é minha linha de ação. É o movimento dos meus leitores. Das quase 100 postagens - ou mais - que há neste blog porquê somente as consideradas polêmicas geram vasta leitura e comentários? Existem coisas mais belas e profundas, pertinentes e candentes neste blog e em tantos outros que necessitam nossa leitura, reflexão e aprofundamento. Será que nos tornamos as pessoas importantes por coisas irrelevantes? Se não irrelevantes, pelo menos periféricas? Não será este meu levante contra os leitores de ocasião também irrelevantes (sic!)? O que é relevante, irrelevante, substancial e contingente?

No mundo da informação rápida, consumimos informações pré-digeridas. O falso cognato precípuo atual é que quanto mais conhecemos, mais sabemos. Quanto mais informações temos, melhores seremos. Penso que esta equação não corresponde à verdade substancial do conhecimento, portanto, ao que é de fato relevante. As inúmeras informações à nossa disposição não nos dão um conhecimento claro e distinto das coisas como a primeira vista possa parecer. Diversas vezes, tais informações já estão pinçadas conforme a ideologia de quem as veicula. Portanto, como se precaver deste laço? Formando a consciência. Lendo coisas realmente relevantes. Lendo tudo o que seja bom. A formação da consciência que dá critério de discernimento para julgar a realidade circundante não pode se dar apenas via consumo de informação rápida. De fato, precisamos assimilar conhecimento maior e mais amplo para que possamos julgar mesmo as informações rápidas que circulam na internet e noutros veículos midiáticos.

A respeito deste pormenor, tenho notado a grande relevância dos assuntos irrelevantes na internet e na TV. Sobressaem nas primeiras páginas, todos os dias, assuntos de moda, beleza, maquiagem, depilação, etc. Nas bancas, toda semana aparece um número novo de revista dando dicas "imperdíveis" de como perder 400 kilos em um mês (sic!). Bom, julgar isto não nos parece difícil. E julgar-se a si mesmo quanto ao que se busca e se consome de informação na internet e noutros veículos de mídia?

Tome cuidado com a relevância dos irrelevantes para não achar que o bobo da corte por ser mais vistoso e engraçado que o rei é de fato o rei. O que posto no blog tem relevância. Por certo eu não postaria bobagens a esmo. Só uma coisa me impressiona nas "estatísticas do blog": a altíssima relevância de assuntos passionais/polêmicos e a audiência praticamente nula para outros assuntos igualmente ou mais complexos e profundos.