Páginas

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Comentário à fala de Sua Santidade aos Bispos do NE 5

Princípios e valores cristãos transformaram a antiga Europa entregue às religiões animistas (culto de árvores, de animais, do sol, da lua, de pedras e tantas outras coisas) e politeístas (com a existência de bacanais, orgias públicas e sacrifícios de crianças) em um Continente civilizado. O "Não matarás" conteve a sanha destruidora dentro do próprio homem. O "amar o próximo como a si mesmo" ensinou o que viemos a conhecer por dignidade humana. O axioma de São Paulo em Gl 5,1 "foi para a liberdade que Cristo nos libertou" que nos trouxe a idéia de liberdade individual. Foi o cristianismo que plasmou o Ocidente.

O homem entregue a si mesmo caminha desorientado. A religião é uma bússola. O cristianismo é uma resposta possível ao vazio nadificante que confronta o homem e o sentido último da existência. Hoje, mais do que nunca, o homem se pergunta: Afinal, o que eu estou fazendo da minha vida? A resposta a esta pergunta, muitas vezes vazia, é que leva tantos a refugiarem-se nas drogas, na pornografia, no sexo e na violência. O cristianismo tem uma outra resposta diferente de todas estas... A resposta do cristianismo, da Igreja Católica, é Jesus Cristo crucificado por amor à humanidade. Ele é nosso paradigma ou arquétipo, como queira. Suas ações são por nós rememoradas a fim de que não nos esqueçamos quem Ele É. Não o tomamos somente por um grande mestre espiritual, desencarnado, que nada tem com as relidades terrestres. Ao contrário, sua vida mostrou grande preocupação com os seus contemporâneos. Tampouco o tomamos por um mestre sábio e ético, somente. Um mestre sábio e ético, por mais sabedoria que possua, não tem o poder de regenerar a humanidade e de salvar o gênero humano do desespero, do fim. Ele é Deus-Conosco, Emanuel, como nos diz o Evangelho de Mateus e o Apocalipse. Ele nunca pôs a vontade de Deus abaixo da mesquinhez humana. Mas, colocou a vontade humana sob a égide da vontade do Pai que quer o melhor para todos e foi ouvido (Hb 5,7).

Por isso ele se interessa por td aquilo que é humano. Como estrato da cultura humana, a política na Grécia antiga era a bela Ars (arte) da busca do Bem Comum. A preocupação de Platão, Sócrates e Aristóteles - os grandes mestres da filosofia - é com a Cidade Perfeita. 25 séculos depois, a política no Brasil tornou-se a busca dos privilégios pessoais. A Igreja precisa ajudar a política a voltar a ser o que ela nasceu para ser: A Bela Arte de sacrificar-se pelo bem comum e isto é fantasticamente cristão! Por isso é importante nos manifestarmos publicamente sobre política. As realidades terrestres, cremos, devem ser governadas por valores imortais. Obrigado Santa Madre Igreja. Obrigado Santo Padre. Porque podemos divisar horizontes grandiosos para o homem por sua virtude. Embora sejamos vasos de barro, trazemos guardado um grande poder, um grande tesouro, que não é nosso (2Cor 4,7). Apenas o mostramos ao mundo em sua genuína força sem a qual o mundo - e a política - não podem ser transformados.

Quando eu era seminarista, ouvi de um Bispo a seguinte experiência: "Quando éramos seminaristas, muitos de nós queriam mudar o mundo, fazer a revolução. Muitos de nossos seminarários estavam com esta característica. Foi então que um seminarista, Enrique Cambón, perguntou a Chiara (Chiara Lubich): O que podemos fazer para viver o ideal da Unidade nos nossos seminários? E obteve como resposta: Vocês devem questionar o homem velho que há em vocês, sempre disposto a retornar, e não as estruturas. Há uma graça nas estruturas da Igreja. Não são elas que estão erradas. É o homem velho que tornam velhas as estruturas". Faço a transposição de sentido desta experiência para a política: esta política velha que vemos, arraigada de pecados, devassidão e luxúria só será nova quando homens novos a transformarem a partir de dentro. O Santo Padre, creio, entende assim como o compreendia São Paulo: a Carne (Homem Exterior ou Velho) tem desejos contrários ao Espírito (Homem Interior ou Novo), e o Espírito, desejos contrários à Carne porque são duas realidades em luta uma com a outra (Gal 5, 17).

É isto, mais ou menos em síntese, o que pensa a Igreja a partir do Evangelho. Porque será que ela é tão veementemente rechaçada?!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Cigarro e anticoncepcional causam AVC

O tabagismo pode gerar bronquite crônica, enfisema pulmonar, câncer de pulmão e está associado a tumores em outras partes do corpo. Hoje, o fumo é considerado a principal causa de mortalidade passível de prevenção, já que dar o primeiro passo em direção ao vício é uma questão de escolha. Mas são principalmente as mulheres que devem ter cuidado redobrado na hora de se arriscar por um trago de fumaça. A combinação das substâncias tóxicas presentes no cigarro com o uso da pílula anticoncepcional pode se transformar em uma armadilha perigosa, dizem especialistas.

O cigarro em si já representa uma série de riscos para o organismo dos fumantes ativo e passivo. Sua composição, no entanto, altera a parte cardiovascular e, por isso, prejudica o sistema circulatório. A pílula anticoncepcional, por sua vez, também gera modificações nesta região e a junção dos dois resulta numa mistura com sérias consequências para a saúde. "O fumo prejudica a parte vascular e o anticoncepcional também. Quando eles estão associados, há a somatização do problema", diz a ginecologista e mastologista Elizabeth Brandão, da Policlínica Piquet Carneiro, no Rio de Janeiro.

O estrogênio, um dos hormônios presentes na pílula, provoca a produção de ateromas, placas compostas por lipídios e tecido fibroso que se formam nas paredes dos vasos sanguíneos. "Esse hormônio, que não é o mesmo fabricado pelo organismo, tem ação aterogênica, ou seja, há a formação das placas, que são responsáveis pelo infarto e pelo Acidente Vascular Cerebral (AVC). Além disso, a pílula gera uma modificação nos lipídios, nos triglicerídeos e no colesterol da mulher. O fumo piora a situação, causando inflamações que serão o estopim para os ataques", explica o ginecologista Renato Ferrari, que também é professor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ).

A associação entre os componentes pode resultar em uma série de complicações, mas Elizabeth lembra que elas são mais comuns em mulheres adultas. "Infartos e AVC são problemas mais frequentes em mulheres a partir dos 30 anos. Em mulheres mais jovens, os problemas mais comuns são o surgimento de varizes e problemas circulatórios, o que não elimina o aparecimento de doenças mais graves", conta a especialista, que chama a atenção para mulheres que sofrem de hipertensão: "Em casos de problemas de pressão, como a hipertensão, a probabilidade do surgimento de complicações é muito maior. Quando o grau de risco da hipertensão é mais alto, o cardiologista pode vir a proibir o uso da pílula anticoncepcional, já que ela altera o sistema vascular". O ginecologista Renato Ferrari faz a mesma restrição a pacientes com excesso de peso. "Mulheres obesas apresentam mais placas de aterosclerose e, se ainda forem fumantes, não podem fazer uso da pílula", alerta ele.

Fonte: http://msn.bolsademulher.com/corpo/perigo-anticoncepcional-e-cigarro-103164.html

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A esperança dos tolos: O Papa e 'O Senhor dos Anéis'


Lendo uma intervenção do Santo Padre no Sínodo para o Oriente, vi algumas coisas muito interessantes que quero cotejar e compartilhar. O Santo Padre, partindo de Apocalipse 12, faz uma belíssima explanação da queda dos ídolos. Eu identifiquei como ídolos naquele texto os "capitais anônimos" que já não são coisas criadas pelo homem mas que dominam o próprio homem. Por eles se mata e se morre. Identifiquei ainda as drogas e um certo modus vivendi segundo o qual denigre-se a família, a castidade, o indivíduo criado à imagem e semelhança de Deus. Li ainda uma matéria de Zenit a qual noticiava que cresce no mundo  outra corrida armamentista como a que sustentou a guerra fria. Li tudo isso e fiquei pensando... Ao final de seu texto, Sua Santidade escreve que a terra que se abre em socorro à mãe e ao filho (Ap 12) é a fé dos simples, dom do Espírito para o bem e a vida do mundo.
Cada vez mais eu sinto o lado cristão de Tolkien* e sua intuição. Vou aqui comentar as palavras do santo Padre com partes da trilogia 'O Senhor dos Anéis'. Há no primeiro filme uma cena interessante na qual Galadriel diz que não há muita esperança de que O Anel seja destruído**. A força dos homens fracassa, diz ela. Igualmente isto é dito por Mestre Elrond em Valfenda quando este dialoga com Gandalf. É interessante notar neste primeiro filme como os grandes personagens, os mais poderosos, são enormemente tentados pelo poder do Anel: Gandalf, Boromir, Galadriel... O poder do mal/Anel é tão grande que corrompe a quem dele se aproxima. A sede de dominação e poder que há no coração do homem é o ninho dentro do qual cresce o domínio do mal. Esta idéia também está expressa em 'O Hobbit', primeiro escrito de Tolkien. Há uma parte na qual ele escreve que o mal avança como uma indústria. E quem pode resistir ao mal? Quem pode resistir à influência do Um Anel? Quem pode vê-lo, tocá-lo e não ser subitamente corrompido por ele? Justamente quem não o quer, não quer o poder, não quer dominar ou vencer. Segundo o conceito bíblico de Mt 5,3, são os pobres! Segundo Tolkien, são os pequenos, os perianath. E quem são os pobres, senão os pequenos? E quem é pequeno se não se torna pobre? Vide as bem-aventuranças (Mt 5,3-12):
Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu.
Felizes os aflitos, porque serão consolados.
Felizes os mansos, porque possuirão a terra.
Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
Felizes os que são misericordiosos, porque encontrarão misericórdia.
Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.
Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.
Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino do Céu.
Felizes vocês, se forem insultados e perseguidos, e se disserem todo tipo de calúnia contra vocês, por causa de Mim.
Fiquem alegres e contentes, porque será grande para vocês a recompensa no céu. Do mesmo modo perseguiram os profetas que vieram antes de vocês.
Quem pode resistir à tentação do mal, do poder? Quem pode resistir à indústria do mal? Quem pode resistir à comissão do mal?! É emblemático no filme que o Anel tenha vozes acompanhando sua tentação aos personagens. É quase uma atrafação fatal. As vozes envolventes, não mais das sereias de Odisseu, mas, das requisições postas à frente de cada pessoa hoje, na concretude de suas vidas. As vozes da pornografia, da violência, do sexo, das drogras, da corrupção, da mentira e da falsidade, da degradação da raça e do indivíduo, da submissão e aviltamento dos semelhantes. Não é a voz do Um Anel? O que de Belo, Bom, Agradável é criado em torno do Um Anel? Nada! O mal neste filme é tão nítido como o mal na vida prática. No cotidiano, como diz o Papa João Paulo II, o mal é revestido de bem para enganar os incautos. Essa é a verdadeira perversão, como eu escrevi certa feita. E quem afirma isso é Santo Agostinho, não eu! Na vida prática, os praticantes do mal sempre buscam desculpas, subterfúgios e eufemismos para suas ações se passarem por boas. No filme, o mal se assume como mal e o é de fato. Na vida real, os maus se travestem de bons para enganar os bons. É a perversão total do sentido das coisas.

No segundo filme há cenas igualmente interessantes. Rei Théoden pergunta a Aragorn: "O que podem os homens contra um ódio tão violento?" Em seguida, mostra a sanha dos orcs e uruk-hais (monstros) que queimam, pilham, destroem. O filme é belíssimo e mostra a feiura do mal. As flechas dos orcs são negras, com penas negras e mal cortadas. Eles mesmos são horríveis, de aparência dantesca. Sua única intenção é destruir, assim como os que se unem ao mal. E reposto a pergunta de Théoden: "O que podem os homens contra um ódio tão violento?

O Papa em seu texto, responde: A fé dos simples que não soçobra diante dos poderes porque está longe deles é o modo de enfrentar o ódio do mundo. A fé pobre, a fé de Maria como está claríssimo no texto do Santo Padre. A fé do abandono total em Deus. Fé, no entanto, vivida não sem dor, não sem comprometimento, não sem sacrifício. Sacrifício? Sim. Porque? Volto à trilogia no segundo filme. Há uma cena belíssima na qual o personagem Frodo tenta matar seu melhor amigo Sam porque está dominado pelo mal. Está completamente cego ao amor, à bondade e à beleza das criaturas. O diálogo dos dois neste momento é extremamente valioso e dramático. Reproduzo-o a seguir e comento depois:
- Sou eu. Sou eu, o Sam. Não reconhece mais o Sam?
- Eu não posso fazer isso, Sam.
- Eu sei. Tá tudo errado. Nós nem deveríamos estar aqui. Mas estamos. É como nas grandes estórias, senhor Frodo. As realmente importantes. Eram cheias de perigo e de escuridão e às vezes não queria nem saber o final, porque, como o fim poderia ser feliz? Como o mundo poderia voltar a ser o que sempre foi com tanta coisa ruim acontecendo? Mas no final é algo que passará, essa sombra. Até mesmo a escuridão acabará. Um novo dia virá e quando o sol nascer ele brilhará ainda mais. Essas eram as estórias que ficavam com a gente; que significavam alguma coisa mesmo quando ainda era pequeno demais para entender porquê. Mas eu acho, senhor Frodo, que eu entendo. Agora eu já sei! As pessoas daquelas estórias tiveram muitas chances pra desistir, mas, não desistiram. Elas foram em frente porque estavam se agarrando a alguma coisa.
- A que estamos nos agarrando, Sam?
- Que há algo de bom neste mundo senhor Frodo e que vale a pena lutar.

Ao fim da cena é impressionante a expressão facial do Gollum. Uma criatura má que sobreviveu do Anel por 500 anos e foi por ele escravizado. Neste momento, há um lampejo de resginação e consciência do bem em Gollum, mas, que logo passa.

O Sacrifício do qual eu falava anteriormente e que está presente na intervenção do Santo Padre, é o Sacrifício dos que crêem efetivamente. Diz Bento XVI que é o Sacrifício dos fiéis em Cristo que, unidos à dor e cruz do Cordeiro imolado, reproduz hoje o grito do crucificado. Significativa esta resposta de Sua Santidade - como dizia Chiara Lubich - à noite coletiva e cultural que vivemos. Não obstante, lutamos - a exemplo da cena que destaquei no filme - pelo fato de que cremos em algo que está para além de nós. Além da mal, além da corrupção, do pecado e da morte. Algo que nos impulsiona e nos atrai. A esse algo damos o nome de Amor. Não um amor qualquer ou descaracterizado pelos usos vazios do mundo, mas, o Amor-Ágape com o qual Deus amou o mundo de tal maneira a ponto de dar seu filho único para que todo o que nele cresse, possuísse a vida eterna. Ainda destaco nesta cena escolhida, a coragem dos que não desistem de lutar. Estes são os que lutam por um ideal e não apenas por si mesmos. 'Agarram-se', notadamente, ao Cristo; o único que dá sentido tanto ao viver quanto ao morrer. Este Amor para o qual todos tendemos e no qual fomos criados, é o que condensa a esperança humana. De fato, desde os gregos o homem busca a felicidade e ela nunca é possuída por completo. Ser feliz equivale a amar e ser amado, segundo os psicólogos e psiquiatras. Portanto, ser feliz e amar, ser amado, são sinônimos. Além da cortina do mal, além da cortina das dores e sofrimentos presentes, além da morte há algo pelo qual vale a pena dar a vida. A este algo nomeamos 'Jesus de Nazaré', amor e felicidade no fim de nossa estrada.

"Tentei salvar o condado, e ele foi salvo, mas não para mim. Muitas vezes precisa ser assim, Sam, quando as coisas correm perigo: alguém tem de desistir delas, perdê-las, para que outras pessoas possam tê-las..." (Frodo – indo para os Portos Cinzentos). Esta consciência é a consciência dos cristãos. Sabemos que sem sacrifício não há vitória mesmo que esta seja somente a esperança dos tolos, como diz Gandalf a Pippin. E ele se refere aos hobbits, os pequenos, os perianath, e àqueles que acreditaram que os menores seres da Terra-Média pudessem enfrentar o mal e vencê-lo. Nunca se vence o mal sem grandes doses de sacrifícios vitais. Acho até que na Obra de Tolkien morrem poucos. Fica uma nostalgia quando tudo acaba e os personagens principais pegam o navio nos Portos Cinzentos e partem para Aman. É um modo pictográfico de dizer que os que perdem a vida, não a perdem de fato, mas a retomam. Porque, quem quiser ganhar a sua vida neste mundo, vai perdê-la, mas, quem perder a sua vida por causa de Jesus e seu evangelho, vai ganhá-la (Mt 10,39). A esperança dos que crêem no que os outros não crêem, dos esperam contra toda desesperança, dos que vêem onde tantos não enxergam e lançam esperança onde outros só vêem nada, vazio. Assim é o retrato do mundo se Deus em oposição aos que N'Ele Crêem, esperam e amam.

Aqui termino minhas divagações. Não há nada tão grande neste mundo que valha a pena morrermos por tal. Por Jesus, ao contrário. Concluo deixando uma pergunta: vale a pena ainda crer em Jesus Cristo no século XXI? Sem respostas óbvias, por favor. Veja o que está ao nosso lado, ao nosso redor... Vale a pena????? Se vale a pena, porque muitos que se dizem cristãos não o amam e não querem dar sua vida por ele???? No more questions!

*Autor de 'O Senhor dos Anéis', 'O Silmarilion', 'O Hobbit' entre outros.
** O Anel é símbolo do mal e deve ser destruído para o mal sê-lo.

sábado, 9 de outubro de 2010

Eleições 2010 - Reflexões

Encontrei uma relação de temas ligados ao PT, pinçados do site do próprio PT em uma comunidade do Orkut. Li-os todos na íntegra. O link para você ler também está aqui. O PT é marxista, materialista, feminista e adepto à ideologia de gênero. Tudo isso importado da Europa. Não tem nada tupiniquim nesta maravalha defendida com paixão. Logo, tudo o que diga respeito à religião será meramente tolerado como forma de convivência civilizada (sic!). A sanha desta galera (na acepção histórica do termo) é esquartejar o Brasil a seus gostos. Qualquer coisa que fale de tradição (na melhor acepção do termo), de família 'tradicional', de valores 'tradicionais' será visto como reacionário, incauto, atrasado, ultrapassado. Os melhores são eles! Quem tem a verdade são eles! A Igreja quer impor suas verdades, segundo o que eles dizem. E eles? Não querem impor sua tirania sobre nós? A Igreja, dizem, quer impor sua crença aos que não crêem. E eles, não querem impor sua ideologia sobre os que não a têm? Porque não vão morar em Cuba, na Holanda ou na Espanha? Lá já é todo este 'paraíso' que querem impor aqui. Aqui somos maioria cristã, católicos e evangélicos. Aqui somos tradicionais. Aqui não somos materialistas ou marxistas. Aqui gostamos de ter pai e mãe. Aqui gostamos de ter família. Aqui gostamos de ter uma religião e dizer que pertencemos a ela e a ela seguimos. Gostamos de ir à missa no domingo e depois sair pra comer uma pizza ou um sorvete. Discutimos religião com os outros, mas, faz parte do jogo da vida. Aqui queremos ser ouvidos, não massacrados. Já fomos o suficiente e hoje estamos alertas e acordados para o nosso lugar na sociedade. Não mais aceitaremos passivamente o que se impõe a partir de uma ideologia partidária. Não! Somos cidadãos e temos também nossa ideologia, quer a aceitem ou não.

Neste momento para agradar gregos e troianos, vemos os candidatos se movimentarem como cobra na areia quente. Não queremos candidato de ocasião. Amor de ocasião. Promessas vazias, vagas e opacas de ocasião. Queremos verdade. Queremos compromisso. Queremos sinceridade. Nada do que se encontra nesse pleito. Não queremos que digam o que nos agrada. Sejam vocês mesmos! Assumam aquilo que pensam vós e o vosso partido. Não tenham medo de perder votos. Sejam coerentes uma vez na vida, pelo amor de Deus! Não precisam se travestir de cordeiros em pele de lobos para que fiquem tragáveis ao eleitorado. Não! Falem o que vieram para dizer. Façam o que vieram para fazer e deixem com que o povo vos julgue a vós e aos vossos partidos. Sejam sinceros uma vez na vida! Hajam democraticamente na democracia que tanto defendem. Bando de covardes! Covardes! Escondem-se atrás de subterfúgios, desculpas e respostas montadas diante das câmeras, enquanto por trás, nos bastidores, tudo permanece como sempre foi. Isso nos enoja. Nos envergonha. Nos entristece.

Porém, vejo uma luz no processo eleitoral no Brasil. O povo está tomando consciência de seu poder, de seu lugar na democracia. É possível que comecemos agora a escrever nossa história de um modo nosso, não importado com ideologias chavistas, cubanas ou européias. Acho que chegou a nossa vez de ser povo brasileiro de verdade! De requerer proteção às nossas famílias, aos nossos filhos, aos nossos pais e avós. De montar uma verdadeira nação brasileira. Avante Brasil! Sem medo de enfrentar os grandes desafios à nossa frente. Confiantes! Ainda nos orgulharemos e muito de nossa Pátria Amada quando os filhos indignos desta , com suas famigeradas ideologias forem impedidos de governar seu destino.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Porque Dilma é a favor do aborto?

Há uma incrível polêmica nesta eleição que nem o PT, nem Lula, Dilma ou qualquer de seus sequazes esperavam: a polêmica sobre o aborto. O Ministro José Gomes Temporão posou de grande desafiador da moral católica durante seu exercício, promovendo ações audaciosas e perversas como a distribuição de camisinhas nas escolas. O tema ficou praticamente esquecido nos grandes debates das TV's abertas antes do pleito. A Rede Globo nem de longe esboçou o assunto. Os adversários de Dilma, tampouco. Mas no dia 3 de outubro veio uma resposta amarga das urnas que fez Marta Suplicy afirmar: "Tinha certeza que ganharíamos no primeiro turno. Fomos arrogantes". Link desta declaração aqui. A internet fervilhou com muitos e-mails, vídeos, podcasts, textos, ensaios, crônicas e outros com os temas "esquecidos" nos debates. Ao final do que precisou que o maior cabo eleitoral de Dilma fosse à Tv desdizer as afirmações que vinham sendo feitas sobre sua candidata. Fato é que todas as afirmações sempre vinham abalizadas com alguma fonte confiável. "Nunca antes na história desse país" (eu não acredito que usei isso!!!!!) se fez tão grande propaganda contra uma candidatura e por motivos tais que uniram católicos, evangélicos, espíritas e mesmo agnósticos que não aceitam o projeto chavista para o Brasil.

Veio o segundo turno. Segundo noticiam Veja On-Line, O Estadão, UOL Notícias e outros veículos de comunicação, a campanha de Dilma agora centrar-se-há no combate a esses "boatos". Bom, hoje eu vinha da missa pra casa pensando em escrever sobre os motivos pelos quais o PT, Dilma e seus sequazes defendem o aborto, a união de pessoas do mesmo sexo, entre outros temas como já tive a oportunidade de escrever aqui. Foi então que, chegando em casa e indo ver as notícias da noite, me deparei com um texto de Reinaldo de Azevedo dizendo justamente o que eu pensava em escrever. Poupou-me tempo e esforço. Por isso, reproduzo-o aqui para você, leitor, acompanhar os reais motivos pelos quais Dilma, o PT e seus sequazes empunham o programa do aborto. A partir do próximo parágrafo, já será o texto em questão. Boa leitura. Se quiseres conferir a fonte, é só clicar aqui.

Aborto como política oficial, sim! E uma secretaria como elo de uma rede internacional pró-aborto: eles deixam pistas

Demorei um pouco. Mas valeu a pena. Eu não lido com boatos. Só os fatos me interessam — em relação ao aborto ou a qualquer outra coisa. O governo brasileiro tem uma Secretaria de Políticas para as Mulheres com status de ministério, vinculada diretamente à Presidência da República. Lula foi eleito e reeleito sem fazer a defesa do aborto, mas seu governo trabalhou noite e dia para tentar legalizá-lo. Selecionei, abaixo, algumas páginas da secretaria, com o link, caso vocês queiram visitá-las.
Está tudo ali. Não adianta tirá-las do ar porque, desta vez, eu me precavi: fiz PDF de tudo. Certa feita, denunciei aqui a existência de uma página do Ministério da Saúde que indicava as veias do corpo mais seguras” (!!!!!!!!!!!) para dar o famoso “pico” de cocaína. Simplesmente sumiram com o arquivo sem se desculpar. Que eu saiba, ninguém foi processado por fazer a apologia do consumo de drogas…
Essa pequena seleção de páginas indica uma política oficial pró-aborto, o que eu sempre combati, diga-se — também ao vivo, em dois programas Roda Viva, um com a ministra Nilcéia Freire (Mulheres) e outro com o ministro José Gomes Temporão (Saúde). Esse ambiente levou o governo a considerar o aborto um “direito humano” no tal Programa Nacional de Direitos Humanos, cuja forma final foi dada pela Casa Civil, de que Dilma Rousseff era a titular.

Seguem trechos das páginas da Secretaria em vermelho. Comento em azul.

Secretaria faz moção de aplauso a deputados federais que mantiveram posição favorável à descriminalização do aborto
Por unanimidade, conselheiras decidiram parabenizar posicionamento público e voto de parlamentares em defesa dos direitos das mulheres. Por unanimidade, conselheiras decidiram parabenizar posicionamento público e voto de parlamentares em defesa dos direitos das mulheres.
Reunido ontem (10/7), em Brasília, o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM) deliberou, na segunda reunião ordinária do novo pleno, sobre moção de aplauso e reconhecimento à posição favorável dos deputados federais José Genoíno (PT/SP), José Eduardo Cardoso (PT/SP), Eduardo Valverde (PT/RO), Regis de Oliveira (PSC-SP) e Paulo Rubens (PDT/PE) à retirada do Artigo 124 do Código Penal que criminaliza o aborto, durante a sessão da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados ocorrida na quarta-feira (9/7).
Aqui.
Quem liderou o esforço para que o aborto, em qualquer caso, deixasse de ser crime foi José Eduardo Cardozo (PT-SP), que se diz parte de um certo petismo ético. É o coordenador da campanha de Dilma Rousseff à Presidência. É aquele senhor que costumava ficar atrás dela quando dava entrevistas, fazendo caras e bocas de desassossego.

Delegações brasileira e peruana visitam rede de apoio às mulheres que optam pelo aborto na Cidade do México
De 28 de julho a 2 de agosto, brasileiros e peruanos vão conhecer equipamentos sociais e a rede de saúde criada para atender mulheres que decidem pelo aborto na Cidade do México. O convite partiu da Pathfinder do Brasil que está realizado o projeto “Implementando a discussão sobre o aborto no Brasil, em parceria com as Católicas pelo Direito de Decidir. A iniciativa visa evidenciar campanhas de advocacy bem-sucedidas a decisores políticos e lideranças, mobilizando-os para a definição de ações para aprimorar políticas, legislações e orçamentos para atenção integral à saúde reprodutiva.
Aqui.
Como se nota, a causa é internacional. O título é fabuloso: “mulheres que OPTAM pelo aborto”. Nem tomam o cuidado de pôr o verbo no passado. O tempo presente indica uma escolha permanente, corriqueira, comum, como quem optasse por tomar Coca ou Pepsi.
Há um detalhe importante aí: notem que restou ali uma palavra em inglês — “advocacy” — e que apareceu  um “decisores” . O que isso quer dizer? Que se tratava de um texto em inglês, submetido àquela tradução automática do Google. Vale dizer: a Secretaria é um elo de uma rede internacional em defesa do aborto. Não há nada de conspiratório nisso. Trata-se apenas de um fato. Em tempo: a palavra “decisor” existe, sim, mas só seria empregada por um tradutor burro, que desconhece a língua portuguesa.
Mesmo em defesa de sua causa, essa gente faz um trabalho porco.

Abrasco aprova moção de apoio à política de saúde sexual e reprodutiva do governo
Objeto: Apoio à política de saúde e às posições do Ministro José Gomes Temporão quanto ao enfrentamento do aborto inseguro no Brasil
.Considerando que:
- O aborto constitui no Brasil, assim como nos países em que sua prática é ilegal, um grave problema de saúde pública, sendo a quarta causa de morte materna no país, com a curetagem pós-aborto representando o segundo procedimento obstétrico mais realizado na rede pública;
- A legislação restritiva vigente no país que criminaliza o aborto não tem sido capaz de evitar sua ocorrência, com estimativa anual de milhão de procedimentos anuais, realizados na clandestinidade;
- A ilegalidade do aborto é fonte de iniqüidade social, pois favorece a realização de práticas inseguras, realizadas por profissionais não qualificados, em ambientes sem os padrões sanitários requeridos, penalizando especificamente as mulheres mais jovens, de estratos sociais menos favorecidos, negras, que não têm acesso a procedimentos seguros;
- Na rede pública, o atendimento às mulheres em situação de abortamento é realizado, muitas vezes, sem respeito aos procedimentos técnicos requeridos, com atitudes de discriminação às mulheres, inclusive pouca atenção a medidas capazes de garantir sua adesão a uma prática contraceptiva, de modo a evitar a recorrência do aborto;
Aqui
O que é mais importante neste arquivo? A Secretaria admite que sua política oficial era favorável à descriminação, embora isso nunca tivesse sido declarado. O objetivo era tentar aprovar a medida aos poucos.

Ato em SP cria Frente Nacional pela Legalização do Aborto
Acontece na tarde desta sexta-feira (26/9), em São Paulo, caminhada pelo fim da criminalização das mulheres e pela legalização do aborto no Brasil. A manifestação denuncia o processo contra 9.922 mulheres acusadas da prática de aborto no Mato Grosso do Sul e ameaça de prisão a duas mil mulheres no País. Durante o ato, que se encerra em frente ao Tribunal de Justiça de São Paulo, será constituída a Frente Nacional pela Legalização do Aborto.
Aqui
Aqui, temos a Secretaria fazendo simples trabalho de proselitismo; nesse caso, trata-se de uma verdadeira convocação em favor da manifestação.

Jovens apontam legalização do aborto e promoção dos direitos sexuais e direitos reprodutivos como prioridade em conferência nacional
Essa é uma das 22 prioridades aprovadas na plenária da conferência. Entre as 69 resoluções do encontro, as prioridades servirão de referência para a plataforma da Política Nacional da Juventude.
A implementação de políticas públicas de promoção dos direitos sexuais e direitos reprodutivos das jovens mulheres, garantindo mecanismos que evitem mortes maternas, aplicando a lei de planejamento familiar, garantindo o acesso a métodos contraceptivos e a legalização do aborto, é uma das 22 prioridades aprovadas na plenária da I Conferência Nacional de Juventude, encerrada em 30 de abril, em Brasília. Entre as 69 resoluções do encontro, as prioridades servirão de referência para plataforma da Política Nacional de Juventude.
Aqui
De novo, trabalho de proselitismo, agora com os supostos “jovens”.

Ministério da Cultura bloqueia conta de projeto que teria manipulado informações
O Ministério da Cultura determinou o bloqueio da conta corrente e a devolução dos recursos do proponente ao tomar conhecimento dos propósitos do projeto Cultura, Cidadania e Vida, que realizou neste domingo (30.08), em Brasília, um ato público contra o aborto.
O projeto recebeu R$ 143 mil do Fundo Nacional da Cultura (FNC), mas, segundo o ministério, omitiu o caráter panfletário do evento, pedindo recursos para a realização de um evento com oficinas, palestras e show. A Ong ainda possuía R$ 76 mil na conta aberta em convênio pelo ministério, mas teve a movimentação bloqueada.
Aqui
Viram? O governo financia ONGs, sim, desde que elas defendam o aborto. Se combatem, nada feito!

Por Reinaldo Azevedo